Embrapa Algodão
Sistemas de Produção, 2
ISSN 1678-8710 Versão Eletrônica
Jan/2003

Cultura do Algodão no Cerrado

Início

Importância econômica
Clima
Manejo de solos
Adubação e correção
Cultivares
Sementes
Plantio
Tratos culturais
Plantas daninhas
Doenças
Pragas
Uso de agrotóxicos
Colheita
Coeficientes técnicos
Referências bibliográficas
Glossário


Expediente

Importância econômica

A evolução da cultura do algodoeiro no cerrado brasileiro

Até o início da década de 90, a produção de algodão no Brasil concentrava-se nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste. Após esse período, aumentou significativamente a participação do algodão produzido nas áreas de cerrado, basicamente da região Centro-Oeste. Esta região, que em 1990 cultivava apenas 123.000 ha (8,8% da área de algodão do país) passou para 479.000 ha em 2002, correspondendo a 63,0% do total da área (Tabela 1).


Os estados do Centro-Oeste, reconhecidamente produtores de algodão herbáceo, são Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul.


Outros estados brasileiros que também estão produzindo algodão no Cerrado são a Bahia e o Maranhão na região Nordeste, cujos sistemas de produção apresentam características semelhantes às do Centro-Oeste.

Tabela 1. Área colhida e produtividade do algodão herbáceo, por regiões geográficas do Brasil, no período de 1980 a 2002.

Centro-Oeste

Sul

Sudeste

Nordeste

Brasil

Ano

Área (mil ha)

Área (mil ha)

Área (mil ha)

Produti vidade (kg/ha)

Área (mil ha)

Produti vidade (kg/ha)

Área (mil ha)

Produti vidade (kg/ha)

Área (mil ha)

Produti vidade (kg/ha)

1980

81

81

336

1.671

373

1.580

559

264

1.353

1.063

1985

148

148

540

1.918

547

1.695

1.013

453

2.253

1.184

1990

123

123

490

1.740

431

1.334

330

458

1.392

1.281

1995

199

199

283

1.874

241

1.497

360

477

1.104

1.306

2000

414

414

54

2.313

115

2.110

225

1.113

809

2.361

2002

479

479

35

2.388

102

2.448

149

1.675

765

2.984

Fonte:  Anuário... (1983, 1988, 1993, 1997); IBGE (2002).


Atualmente, a região Centro-Oeste responde por 74,47% do algodão produzido no Brasil. Somando-se a produção do Centro-Oeste com a da Bahia e do Maranhão, o algodão do cerrado representa mais de 80,0% da produção nacional (Tabela 2).


O deslocamento da produção de algodão para a região dos cerrados, principalmente do Centro-Oeste, foi resultante das condições favoráveis para o desenvolvimento da cultura e da utilização de variedades adaptadas às condições locais, tolerantes a doenças e com maior potencial produtivo, aliadas às modernas técnicas de cultivo. Soma-se a isso, a expressiva elevação dos preços internos no primeiro semestre de 1997, o estreito suprimento do produto no mercado interno e o estímulo dos governos estaduais, através de programas especiais de incentivo à essa cultura.

Tabela 2. Área colhida, produção e rendimento médio de algodão herbáceo em caroço, segundo as regiões e estados do Brasil, 2002.

Região/Estado

Área colhida (ha)

Produção

(t)

Produtividade (kg/ha)

Participação na produção (%)

Brasil

764.974

2.282.949

2.984

100,00

Norte

65

41

631

0,00

Rondônia

65

41

631

0,00

Nordeste

148.941

249.448

1.675

10,92

Maranhão

3.134

9.799

3.127

0,43

Piauí

7.792

2.494

320

0,11

Ceará

15.995

16.524

1.033

0,72

Rio Grande do Norte

18.075

12.206

675

0,53

Paraíba

8.117

9.394

1.157

0,41

Pernambuco

5.000

2.750

550

0,12

Alagoas

16.750

9.161

547

0,40

Bahia

74.078

187.120

2.526

8,20

Sudeste

102.221

250.196

2.448

10,96

Minas Gerais

38.871

91.146

2.345

3,99

São Paulo

63.350

159.050

2.511

6,97

Sul

34.889

83.300

2.388

3,65

Paraná

34.889

83.300

2.388

3,65

Centro-Oeste

478.858

1.699.964

3.550

74,47

Mato Grosso do Sul

45.035

158.373

3.517

6,94

Mato Grosso

334.318

1.240.911

3.712

54,36

Goiás

99.505

300.680

3.022

13,17

Fonte: IBGE (2002)


Outro fator determinante da evolução da cultura do algodão no Centro-Oeste é a produtividade. Enquanto no Sul, representado pelo estado do Paraná, a produtividade em 2002 foi de 2.388 kg/ha e no Sudeste, de 2.448 kg/ha de algodão em caroço, a média do Centro-Oeste foi de 3.550 kg/ha, aproximadamente 47% maior (Tabela 2).


Panorama em Mato Grosso

Mato Grosso ocupa, atualmente, a primeira posição em área cultivada, produção e produtividade. O estado contribui com 54,36% da produção nacional (Tabela 2).

Mato Grosso é uma das mais importantes áreas de expansão da cultura do algodão herbáceo no Brasil. De 4.480 hectares e uma produção de 4.914 toneladas em 1980, passou a cultivar 334.318 hectares, com uma produção de 1.240.911 toneladas em 2002. A produtividade cresceu 238,7% no período, passando de 1.097 kg/ha em 1980 para 3.712 kg/ha na safra 2002 (Tabela 3).

Tabela 3. Área colhida, produção e produtividade de algodão herbáceo no Mato Grosso de 1980 a 2002.

Ano

Área colhida

(ha)

Produção

(ton.)

Produtividade

(kg/ha)

1980

4.480

4.914

1.097

1985

16.945

21.837

1.289

1990

43.422

57.634

1.327

1995

69.390

87.458

1.260

1998

106.483

283.812

2.665

1999

200.182

566.802

2.831

2000

257.762

908.854

3.526

2001

412.315

1.525.376

3.700

2002

334.318

1.240.911

3.712

Fonte: Anuário... (1983, 1988, 1993, 1997); IBGE (2002).


Panorama em Goiás

Goiás ocupa, atualmente, a segunda posição em área cultivada e produção (Tabela 2), atingindo mais de 300 mil toneladas de algodão em caroço na safra 2001/02 (Tabela 4).

Apesar das oscilações da área cultivada, a produtividade aumentou de ano para ano. De 31.450 hectares e uma produção de 62.960 toneladas em 1980, passou a cultivar 99.505 hectares, com uma produção de 300.680 toneladas em 2002. A produtividade cresceu 50,95% no período, passando de 2.002 kg/ha para 3.022 kg/ha (Tabela 4).

Tabela 4. Área colhida, produção e produtividade de algodão herbáceo em Goiás 1980 a 2002.

Ano

Área colhida

(ha)

Produção

(ton.)

Produtividade

(kg/ha)

1980

31.450

62.960

2.002

1985

64.060

116.030

1.811

1990

35.459

59.754

1.685

1995

69.533

157.031

2.258

1998

186.661

260.062

1.393

1999

117.056

278.363

2.378

2000

96.718

254.476

2.631

2001

106.539

326.150

3.061

2002

99.505

300.680

3.022

Fonte: Anuário... (1983, 1988, 1993, 1997); IBGE (2002).


Panorama em Mato Grosso do Sul


Em Mato Grosso do Sul, o algodão teve expansão acentuada em meados da década de 1990. De uma área igual a 44.615 hectares e produção de 69.346 toneladas em 1980, passou a cultivar 60.011 mil hectares, com uma produção de 105.791 toneladas em 1995. Entretanto, a partir de 1995, a área cultivada decresceu, atingindo pouco mais de 45.035 hectares em 2002. Mas, a produtividade aumentou, passando de 1.554 kg/ha em 1980, para 3.517 kg/ha em 2002, um crescimento de 126,3% (Tabela 5).

O Estado ocupa o quinto lugar em produção, contribuindo com 6,94% do total nacional e o segundo em produtividade, perdendo apenas para Mato Grosso (Tabela 2).

Tabela 5. Área colhida, produção e produtividade de algodão herbáceo no Mato Grosso do Sul de 1980 a 2002.

Ano

Área colhida

(ha)

Produção

(ton.)

Produtividade

(kg/ha)

1980

44.615

69.346

1.554

1985

66.619

106.317

1.596

1990

44.570

73.559

1.650

1995

60.011

105.791

1.763

1998

49.151

93.229

1.897

1999

46.231

114.521

2.477

2000

48.450

127.839

2.639

2001

50.058

169.425

3.385

2002

45.035

158.373

3.517

Fonte: Anuário... (1983, 1988, 1993, 1997); IBGE (2002).


Panorama na Bahia

A Bahia é o único estado brasileiro produtor de algodão que apresentou aumento de área dessa cultura na safra 2001/02 em relação à 2000/01. A produção concentra-se na região de Barreiras, que engloba também os municípios de Luís Eduardo Magalhães, São Desidério e Ronda Velha.


O algodão teve expansão acentuada no início da década de 1990, atingindo 186.447 hectares, mas partir de então, a área decresceu sensivelmente, atingindo 74.078 hectares em 2002. Em compensação, a produtividade aumentou significativamente, pois de apenas 880 kg/ha em 1980, passou para 2.526 kg/ha em 2002, um crescimento de 187,04% (Tabela 6).

Tabela 6.  Área colhida, produção e produtividade de algodão herbáceo na Bahia 1980 a 2002.

Ano

Área colhida

(ha)

Produção

(ton.)

Produtividade

(kg/ha)

1980

74.870

65.886

880

1985

129.161

161.193

1.248

1990

186.447

109.361

587

1995

156.557

76.090

486

1998

109.164

41.532

380

1999

42.381

50.085

1.182

2000

55.952

132.679

2.371

2001

56.607

170.092

3.005

2002

74.078

187.120

2.526

Fonte: Anuário... (1983, 1988, 1993, 1997); IBGE (2002).


Panorama no Maranhão

No estado do Maranhão, o algodão é produzido principalmente na região de Balsas e é cultivado, predominantemente, por grandes empresários rurais.


A cultura foi introduzida recentemente e as tecnologias ainda não estão totalmente definidas.

A produção ainda é pequena, mas o Estado apresenta grande potencial para expansão da cultura, tendo em vista a estrutura ferroviária e rodoviária existente e por estar próximo do polo têxtil do Ceará.


























 

 

Copyright © 2000, Embrapa

Topo da Página