Embrapa Algodão
Sistemas de Produção, 3
ISSN 1678-8710 Versão Eletrônica
Jan/2003

Cultivo do Algodão Irrigado

Autores

Início

Importância econômica
Clima
Solos
Adubação e correção
Armazenamento
Cultivares
Irrigação
Praticas culturais
Plantas daninhas
Doenças
Pragas
Colheita
Mercado e comercialização
Coeficientes técnicos
Referências bibliográficas
Glossário


Expediente

Correção do Solo


O algodoeiro é uma cultura sensível à acidez do solo, ao alumínio e ao manganês tóxico, sendo necessário corrigir a saturação de bases do solo para pelo menos 60% da CTC a pH 7,0, na camada de 0-20 cm, e 45 a 50 % da CTC, na camada de 20-40 cm. A correção da acidez do solo é feita através de calagem e/ou gessagem. 


Calagem
 


É a aplicação do calcário no solo para corrigir sua acidez, eliminar a toxidez de Al e Mn e fornecer Ca e Mg à planta. São vários os métodos usados para o  cálculo da necessidade de calcário, sendo o mais usado para a cultura do algodão aquele baseado na CTC e saturação de bases, para o qual se utiliza a seguinte fórmula:

NC (t/ha) = CTC (V2-V1)/100, sendo:

NC = necessidade de calcário em t/ha

CTC (mmolc/dm3) = capacidade de troca cátions do solo a pH 7,0 (Ca2+ + Mg2+ + K+ + H+ +Al3+)

V2 = porcentagem de saturação por bases recomendada para a cultura (60-70%)

V1 = porcentagem de saturação por bases atual do solo, calculada pela fórmula: 100 x SB/CTC

SB = soma de bases trocáveis (Ca2++Mg2++ K+ + Na+, em mmolc/dm3).

A quantidade de calcário recomendada é para aplicação do produto em uma superfície (S) de um hectare (10.000 m2), a uma profundidade de incorporação (PI) de 20 cm e usando calcário com PRNT igual a 100 %. Caso haja diferença em qualquer desses critérios é necessário fazer uma correção na quantidade aplicada:

Quantidade de calcário (t/ha) = NC x S/10.000 x PI/20 x 100/PRNT,

onde PRNT = Poder Relativo de Neutralização Total do calcário utilizado.

A calagem deve ser feita pelo menos dois meses antes do plantio, em toda área,  incorporando o calcário, logo em seguida, com aração e gradagem. Caso seja usado o plantio direto, deve ser aplicada na superfície metade da dosagem recomendada até o limite de 2,5 t/ha, em solos argilosos, e 2,0 t/ha, em solos arenosos.

Gessagem

A correção da acidez e dos teores tóxicos de Al na subsuperfície pode ser feita com gesso agrícola. O seu uso é recomendado quando na camada subsuperficial (20-40) a saturação por alumínio for superior a 20% e/ou a saturação de cálcio for menor que 60% da CTC efetiva. De modo geral, a quantidade de gesso (QG) a ser aplicada no solo pode ser calculada pela fórmula:

 QG (kg/ha) = 50 x %argila   

Ou ainda:


Solos arenosos (< 15% de argila)

Até 700 kg/ha

Solos de textura média (15 – 35% de argila)

Até 1.200 kg/ha

Solos argilosos (35 – 60% argila)

Até 2.200 kg/ha

Solos muito argilosos (> 60% argila)

Até 3.200 kg/ha


Para o algodoeiro, sugere-se a observação das seguintes condições:

I) Em solos argilosos, porém com baixos teores de potássio, a gessagem pode ser efetuada desde que seja feita adubação com potássio.

II) Em solos argilosos com teores médios ou altos de potássio, o gesso pode ser usado sem restrições.

III) A quantidade de gesso a ser aplicada não deve ultrapassar 1500 kg/ha.

IV) O gesso pode ser usado como fonte de enxofre e, nesse caso, a quantidade deve ser calculada para fornecer 20 a 30 kg/ha desse nutriente.

 

 

Copyright © 2000, Embrapa

Topo da Página