Embrapa Clima Temperado
Sistemas de Produção, 3
ISSN 1806-9207 Versão Eletrônica
Nov./2005

Cultivo do Arroz Irrigado no Brasil

Autores

Sumário
Início
 
Importância Econômica,
Agrícola e Alimentar do Arroz
Condições Climáticas Para o
Cultivo do Arroz no Brasil
Solos Cultivados com Arroz
Irrigado na Região Subtropical
do Rio Grande do Sul
Manejo da Adubação Mineral e da Calagem para a Cultura do Arroz Irrigado
Cultivares de Arroz Irrigado para
o Brasil
Produção de Sementes de Arroz
Sistemas de Cultivo - Plantio Direto e Cultivo Mínimo en Arroz Irrigado
Sistemas de Cultivo - Convencional
Sistemas de Cultivo - Pré-germinado Transplante de Mudas em Arroz Irrigado
Manejo da Água em Arroz Irrigado
Plantas Daninhas em Arroz Irrigado
Doenças do Arroz Irrigado e seus Métodos de Controle
Pragas do Arroz Irrigado
Uso de Agrotóxicos
Colheita do Arroz Irrigado
Pós-Colheita e Industrialização
de Arroz
Cultivo da Soca de Arroz Irrigado
Consumo, Mercado e Comercialização do Arroz no Brasil
Coeficientes Técnicos do Arroz Irrigado no Rs
Referências
Autores
 
Expediente
Produção de Sementes de Arroz

A utilização de sistemas de produção de sementes, com padrões de lavoura bem definidos, retrata o nível tecnológico de um povo. Assim, um quilograma de semente genética poderá chegar a milhares de toneladas de sementes comerciais autênticas, se nas gerações subsequentes foram observados os padrões pré-estabelecidos.

Cuidados na produção de sementes

O estabelecimento de campos de produção de sementes requer, além de um planejamento criterioso, alguns cuidados especiais e imprescindíveis.

Origem da semente

A semente a ser utilizada deverá ser : de origem e classe conhecida; de alta pureza genética; de alta qualidade sanitária (livre de doenças); com boa qualidade fisiológica (germinação e vigor); livre de sementes de plantas daninhas; livre de sementes de outras espécies e material inerte.

Escolha do campo

O produtor necessita conhecer o histórico do campo em que irá trabalhar, pois alguns fatores podem interferir na qualidade final do produto.

Entre esses fatores temos os seguintes:

- Cultivo anterior: o campo não deve ter sido cultivado com a mesma espécie no ano anterior ou nos anos anteriores, conforme a cultivar escolhida. Desta forma evita-se contaminação varietal.

- Espécies silvestres: o conhecimento das plantas daninhas predominantes no campo é importante, pois é mais fácil produzir em áreas livres de invasoras do que em áreas onde há presença de plantas que dão origem a sementes silvestres nocivas toleradas ou proibidas.

Sementes

É obrigatório utilizar sementes básicas ou sementes certificadas. Estas devem ser adquiridas junto a instituições públicas ou de particulares idôneos, em embalagens fechadas contendo informações sobre a qualidade das sementes.

Semeadura

a - Época de semeadura: no Rio Grande do Sul a época de semeadura recomendada é de 15 de outubro a 15 de novembro, podendo em algumas regiões (fronteira oeste e litoral norte) ser antecipada por alguns dias.

 

b - Densidade de semeadura: recomenda-se para cultivares que emitam perfilhos, 125 kg/ha de sementes viáveis. Para cultivares que emitam poucos perfilhos a quantidade de semente deve ser aumentada.

 

c - Preparo do solo:o solo no plantio convencional deve ser bem preparado para que as sementes tenham profundidade de semeadura, emergência e estande uniformes.

No sistema de plantio direto e cultivo mínimo, o solo é mais frio que no convencional, sendo necessário aumentar um pouco a densidade de semeadura.

Outros sistemas utilizados para produção de sementes são o pré-germinado e o de transplante de mudas (ver capítulo Sistemas de Cultivo do Arroz Irrigado).

Manejo da cultura

A adubação, tratos culturais, irrigação e manejo da cultura seguem a mesma orientação que para uma lavoura de produção comercial.

Solamento

É muito importante evitar as possibilidades de contaminação genética através da polinização cruzada.

O isolamento dos campos de produção de sementes pode ser realizado através de:

a - Espaço: para cultivares de arroz irrigado o isolamento físico é, no mínimo, 3 metros para cultivo em linha e de 15 metros para cultivo à lanço, tanto no plantio como na colheita.

No que se refere a produção de sementes de híbrido de arroz, muito pouco se conhece a respeito do isolamento a ser utilizado.

b - Época de semeadura: esse tipo de isolamento pode ser utilizado de maneira que o florescimento de cada variedade ocorra em épocas diferentes. Para arroz uma defasagem de 20 dias é suficiente, desde que não exista diferença de ciclo entre as cultivares.

c - Barreiras: a distância mínima de isolamento pode ser reduzida se forem feitas semeaduras de bordaduras, que irão se constituir em barreiras vegetais.

Descontaminação

É a limpeza total e sistemática de um campo de produção de sementes, através da remoção de plantas indesejáveis.

A descontaminação deve ser realizada para retirar:

- Plantas atípicas: são plantas da mesma espécie, mas que destoam desta por uma ou mais características, tais como: tipo de planta, ramificações, hastes ou folhas pilosas, cor, forma, tamanho etc.

Estas plantas devem ser eliminadas dos campos de produção de sementes em qualquer época do seu desenvolvimento vegetativo e reprodutivo.

- Plantas liberadoras de pólem: são todas aquelas plantas indesejáveis da mesma espécie que possam polinizar através do cruzamento natural.

- Plantas daninhas: são aquelas plantas que são difíceis de controlar pelas práticas culturais ou através de utilização de herbicidas.

-Sementes inseparáveis: são aquelas consideradas de difícil separação por meio de equipamentos mecânicos.

Inspeções em campo de produção

Uma forma de realizar a descontaminação de campos de produção de sementes é através de inspeções criteriosas das lavouras.

O número de inspeções, para cada cultura, representam o mínimo aceitável, entretanto, inspeções adicionais poderão ser executadas.

Os períodos de inspeção devem ser realizados nas seguintes fases de desenvolvimento da cultura:

- Período de pré-floração: compreende todo o período de desenvolvimento vegetativo que precede ao florescimento das plantas.

- Período de floração: este período é caracterizado pela fase em que as flores estão abertas, o estigma receptivo e a antera liberando pólem.

- Período de Pós-floração: neste período a receptividade do estigma e a liberação do grão de pólem das anteras terão cessado. O óvulo já deverá estar fertilizado e desenvolvendo-se em semente.

- Período de Pré-colheita: nesta fase a semente se torna mais dura e alcança a maturação fisiológica. Este é o período mais importante para a descontaminação, pois vários tipos de plantas indesejáveis e misturas varietais podem ser identificadas facilmente.

-Período de colheita: nesta fase a semente esta fisiológicamente madura e suficientemente seca, permitindo uma colheita fácil e segura, ou então fisiológicamente madura e úmida, podendo no entanto ser colhida e secada artificialmente para armazenamento.

Colheita

Dentro de um sistema de produção de sementes de arroz a colheita é uma das últimas operações antes da comercialização. (Ver capítulo Colheita do Arroz Irrigado).

Pós-Colheita

Apesar dos bons resultados já obtidos pela pesquisa, a fase de pós-colheita carece de informações tecnológicas e operacionais.

Basicamente, após a colheita a semente de arroz passa por uma pré-limpeza, secagem, limpeza, separação densimétrica (mesa de gravidade) e por uma operação de acabamento ((trieur).(Ver capítulo Pós-colheita e Industrialização do arroz irrigado).

Padrão de lavoura para sementes no Estado do Rio Grande do Sul

A lavoura para ser aprovada como semente, no Rio Grande do Sul, deverá satisfazer o seguinte padrão:

Fatores
Tolerância
Básica
Registrada
Certificada
Fiscalizada
PLANTAS CULTIVADAS (%):
- Outras espécies
zero
zero
zero
*
- Outras cultivares
0,01
0,02
0,03
0,05
ARROZ VERMELHO
zero
zero
zero
zero
ARROZ PRETO
zero
zero
zero
zero
PLANTAS SILVESTRES E NOCIVAS TOLERADAS**
*
*
*
*
PLANTAS NOCIVAS PROIBIDAS
zero
zero
zero
zero
(*) A ocorrência no campo deve ser mínima

Observação - O número de plantas a examinar durante a inspeção ou vistoria para o fator "Outras cultivares" será dividido em 6 sub-amostras, cada uma com o seguinte número mínimo de plantas, em função do nível de tolerância, por classe:

 
Semente Básica
Semente Registrada
Semente Certificada
Semente Fiscalizada
5.000
2.500
1.700
1.000

Padrão de semente de arroz para o Estado do Rio Grande do Sul

Fatores
Tolerância
Básica
Registrada
Certificada
Fiscalizada
GERMINAÇÃO MÍNIMA (%)
70
80
80
80
PUREZA MÍNIMA (%)
99
99
99
99
ARROZ SEM CASCA* (nº máximo em 100g):
25
25
25
30
OUTRAS SEMENTES (nº máximo em 100g)
- Outras espécies cultivadas
- Sementes silvestres
1
zero
2
zero
3
zero
6
1
SEMENTES ATÍPICAS**
(nº máximo em 100g)
5
10
10
20
OUTRAS CULTIVARES*** (nº máximo em 100g)
5
10
10
20
SEMENTES NOCIVAS TOLERADAS**** (nº máximo em 500g):
- Arroz vermelho
- Outras espécies
zero
zero
zero
zero
zero
1
2
1
SEMENTES NOCIVAS PROIBIDAS**** (n° máximo em 500g)
zero
zero
zero
zero
(*) Exibido somente para o comércio interestadual
(**) Sementes com pilosidade, em amostras de cultivares glabras e vice-versa
(***) Sementes com caracteres distintos da cultivar em análise, que possam ser reconhecidos pelo exame visual, com base nos descritores referentes pela entidade que melhorou ou lançou a cultivar.

Observação a cultivar Bluebelle, no fator "outras cultivares", tem a tolerância ampliada para 15/100g, na produção de SEMENTE FISCALIZADA, atendendo o seguinte desdobramento:

Sementes de cultivares
tipo "PATNA"

Sementes de outras
cultivares

Total
15
0
15
14
1
15
13
2
15
12
3
15
11
4
15
10
5
15
09
6
15
 

Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.