Embrapa Meio-Norte
Sistemas de Produção, 4
ISSN 1678-8818 Versão Eletrônica
Nov/2007
Sistema Alternativo de Criação de Galinhas Caipiras
Autores
Apresentação
Introdução
Origem genealógica e raças
Alimentação
Alimentos alternativos
Instalações e equipamentos
Sanidade
Reprodução
Comercialização
Mercado
Referências
Glossário

Expediente
Mercado

Atualmente, a avicultura no Brasil é considerada uma atividade econômica dinâmica. Iniciada na Região Sudeste,no final da década de 50, e mais tarde, nos anos 70, na Região Sul. Com a grande produção de grãos nos Cerrados, no início desse século, os valores com exportação ultrapassaram a barreira dos dois bilhões de dólares. O aumento do consumo per capita da carne de frango, principalmente por causa da qualidade do produto e dos preços acessíveis, demonstra essa mudança de hábito, pois antes a carne bovina era a mais consumida. A previsão é de que a carne de frango atinja 36,4 quilos perante 35,4 quilos da carne bovina (A PROPAGANDA..., 2006).

A produção de frango, em 2006, alcançou 9.420 milhões de toneladas, superando os 9,348 milhões alcançados em 2005. Por outro lado, esses dados demostram que o Brasil se tornou o maior exportador de aves desde 2004, uma vez que exporta anualmente cerca 3.040 toneladas de carne de frango, seguido dos Estados Unidos (2.538 toneladas), da União Européia (780 toneladas), da Tailândia (400 toneladas) e da China (360 toneladas).

Em termos de consumo de ovos, a média é considerada baixa se for levado em conta a população do Brasil e o potencial da avicultura de postura nacional. O consumo anual de ovos "in natura" é de 141 ovos enquanto que no México se consomem mais de 360 unidades, seguido pelo Japão (347) e China (310). Vale salientar que o México é o sexto maior produtor mundial de ovos e o Brasil, o sétimo, cerca de 22,212 bilhões de unidades de ovo por ano (NO MUNDO..., 2007), antes deles estão a China, os Estados Unidos, o Japão, a Índia e a Rússia (CONSUMO..., 2006).

Tal produção é basicamente originária de sistemas avícolas altamente tecnificados e tem mercado garantido. No Brasil o mercado de galinha caipira é ainda maior, uma vez que se trata de um produto considerado nobre em todos os níveis sociais e em toda extensão territorial do País. Basta dizer que o preço no varejo dos principais pratos típicos (Fig. 1) chega a ser elevado devido à pouca disponibilidade do produto. Enquanto que uma cabeça de frango terminado aos 120 dias de idade custa algo em torno de R$ 6,001 para o produtor e é repassado ao consumidor por R$ 10,00. Uma vez abatido, processado e oferecido em restaurantes, o prato passa a custar em média R$ 30,00. Quando comparado ao frango de corte, que no varejo se paga em média por quilo R$ 3,00, nos restaurantes os pratos giram em torno de R$ 14,00.

Foto: F.J.V. Barbosa

Fig.1. "Pirão de parida", prato típico muito
consumido no Nordeste do Brasil.

Em relação aos ovos, as proporções de preços se repetem. A dúzia do ovo oriundo de granjas tecnificadas custa no varejo em torno de R$ 3,00, já os advindos de galinhas caipiras, R$ 4,00. Nesse caso é importante ressaltar que a genética da galinha caipira ainda não permite se ter uma poedeira competitiva e os ovos comercializados são os que deixarão de certa forma de serem incubados.

Quanto mais se diminuir o custo de produção das galinhas caipiras e estas estiverem mais disponíveis, com certeza, serão mais largamente consumidas. Para que isso aconteça, a criação deve ser criteriosamente acompanhada e contabilizados todos seus custos e receitas, mesmo que isso ocorra de forma bem simples (Fig. 2).

Foto: F.J.V. Barbosa

Fig.2. A contabilidade, um instrumento importante
no sucesso da criação.


(1) R$ 1,00 = 1 U$


Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610

Topo da Página