Embrapa Meio-Norte
Sistemas de Produção, 2
Cultivo de Feijão-Caupi
Autores

Apresentação
Importância econômica
Clima
Solos e Adubação
Cultivares
Produção de sementes
Plantio
Irrigação
Tratos culturais e manejo de plantas daninhas
Doenças e métodos de controle
Pragas
Colheita, beneficiamento e acondicionamento
Mercado e comercialização
Coeficientes técnicos
Referências bibliográficas
Glossário


Expediente

Pragas dos grãos armazenados


Expurgo

Segundo Gallo et al. (2002), expurgo, é a operação que visa a eliminação dos insetos que se encontram nos produtos armazenados em suas diversas fases de desenvolvimento, procurando atingir uma eficiência de 100% no controle.


Fig. 50. Pastilhas de fosfina para expurgo de grãos armazenado.
Foto: Paulo Henrique Soares da Silva

Na operação de expurgo, são empregados defensivos conhecidos como fumigantes sendo a fosfato de alumínio (fosfina) o mais utilizado atualmente (Fig. 50).

A operação de expurgo pode ser realizada com os grãos a granel ou ensacados. A granel, os grãos são depositados em silos verticais, horizontais ou armazéns graneleiros.

Na operação de expurgo em grãos acondicionados em sacos, seguem-se as seguintes etapas:

  • Empilhamento da sacaria sobre estrados de madeira (Fig. 51);

Fig. 51. Sacos de feijão empilhados sobre estrados de madeira para serem expurgados.
Foto: Paulo Henrique Soares da Silva

 

  • Cobertura da sacaria com um lençol impermeável de forma que as laterais do lençol se estenda sobre o piso cerca de 1,0 m (Fig. 52).
  • Disposição das "cobras de areia" sobre as laterais do lençol que se estende sobre o piso de forma que o lençol fique em contato com este e evite a saída dos gases do inseticida (Fig. 52).

Fig. 52. Lençol impermeável cobrindo a sacaria em expurgo. Detalhe das "cobras de areia" evitando a saída dos gases.
Foto: Paulo Henrique Soares da Silva

 

  • Deixar um dos lados da pilha sem as "cobras de areia" para dar acesso à pessoa que vai colocar as pastilhas de fosfina (inseticida).
  • Distribuir as pastilhas de fosfina na quantidade recomendada pelo fabricante em diferentes locais da pilha de sacos.
  • Após a colocação das pastilhas, vedar o acesso colocando as "cobras de areia" no local do acesso.
  • Obedecer o período de exposição dos grãos e de carência.

Em grãos armazenados em silos ou armazéns graneleiros, normalmente as partilhas de fosfina são adicionadas aos grãos na esteira de carregamento, em doses recomendadas, à medida que esses locais estão sendo carregados com os grãos.

A fosfina é um gás inodoro, portanto, o odor de etileno "carbureto" (gás de alerta) é para alertar as pessoas que trabalham com este produto ou se encontre nas proximidades dos locais onde a mesma está sendo usada, que a fosfina está no ambiente.

A pastilha do inseticida começa a liberar o gás venenoso uma hora após entrar em contato com o ar, entretanto, dependendo das condições de temperatura e umidade, este tempo pode ser mais reduzido. Neste sentido, aconselha-se que a distribuição do produto pelas sacarias, seja o mais breve possível e, após a aplicação, evitar a presença de pessoas e animais no local.

Página inicial (Pragas)

Copyright © 2002, Embrapa

Topo da Página