Embrapa Meio-Norte
Sistemas de Produção, 2
ISSN 1678-8818 Versão Eletrônica
Jan/2003
Cultivo de Feijão-Caupi
Autores

Apresentação
Importância econômica
Clima
Solos e Adubação
Cultivares
Produção de sementes
Plantio
Irrigação
Tratos culturais e manejo de plantas daninhas
Doenças e métodos de controle
Pragas
Colheita, beneficiamento e acondicionamento
Mercado e comercialização
Coeficientes técnicos
Referências bibliográficas
Glossário


Expediente

Solos e Adubação

Amostragem do solo, Correção da acidez do solo, Nitrogênio, Fósforo, Potássio, Cálcio, Magnésio,
Enxofre, Micronutrientes, Recomendação de adubação, Observações técnicas adicionais


Enxofre

Elemento pouco móvel na planta. As plantas deficientes em enxofre apresentam crescimento aparentemente normal. Os sintomas característicos iniciam-se pelas folhas mais novas, na forma de manchas irregulares, verde-claras, distribuídas no limbo dos folíolos. Com o desenvolvimento das plantas as folhas tornam-se amarelas, e os folíolos caem facialmente. Contudo, há produção de vagens.

O feijão-caupi requer aproximadamente 10 kg de enxofre/ha. Alguns fertilizantes das fórmulas básicas de adubação contém o enxofre em quantidade suficiente para a cultura.

Topo da Página

Micronutrientes

Os micronutrientes são exigidos em pequenas quantidades pela planta do feijão-caupi. Normalmente, as reservas dos solos são capazes de atender às necessidades das plantas. Deficiências podem ocorrer em solos cujo material de origem é pobre em nutrientes ou que apresentam condições adversas à sua mobilização/absorção pela planta, tais como valores extremos de pH e excesso de matéria orgânica.

São raras as informações técnicas sobre as necessidades de micronutrientes em solos onde é cultivado o feijão-caupi. Alguns micronutrientes (molibdênio e zinco) exercem grande influência na nodulação e na fixação simbiótica do nitrogênio pelas leguminosas.

As deficiências desses nutrientes ocorrem normalmente em solos ácidos e arenosos. Vinte grama de molibdênio são suficientes para tratar sementes necessárias ao plantio de 1 ha. Quanto ao zinco as deficiências podem ser corrigidas com aplicação, em fundação, do zinco, na razão de 3 kg/ha.

Topo da Página

Recomendação de adubação

De uma maneira geral, a recomendação de adubação química leva em consideração os resultados da análise química do solo e as exigências nutricionais da cultura. Para uma melhor utilização dessa recomendação, foram acrescentadas algumas informações técnicas que são de grande interesse para o sucesso dos programas da adubação na cultura do feijão-caupi (Tabela 1).

Tabela 1. Recomendação de adubação química (kg.ha-1) para a cultura do feijão-caupi com base nos resultados da análise química do solo.
Época

N

P2O5

K2O

P no solo mg.dm-3

K no solo mg.dm-3
Plantio

 

0 - 5

6 - 10

> 10

0 - 25
26 - 50
> 50
 
-
60
40
20
40
30
20
Cobertura
20

Topo da Página

Observações técnicas adicionais

  • Em áreas recém-desmatadas ou em solos de textura arenosa e com baixos níveis de matéria orgânica (menos de 10g.kg-1) recomenda-se utilizar uma adubação de cobertura, com nitrogênio na dosagem de 20 kg de N.ha-1, em cobertura, aos 15 dias após a fase de emergência das plantas.
  • Caso seja necessário adubação nitrogenada, recomenda-se usar as combinações sulfato de amônio e superfosfato triplo ou uréia e superfosfato simples para garantir o suprimento de enxofre às plantas.
  • Em solos com reconhecida deficiência em micronutrientes (molibdênio e zinco), recomenda-se aplicar no sulco de plantio, 3 kg de zinco/ha e realizar o tratamento das sementes, utilizando-se 20 gramas de molibdênio para 20 kg de semente.
  • Repetir a análise química do solo após o terceiro cultivo consecutivo, para ajustar a recomendação de adubação.
Página inicial (Solos e Adubação)

Copyright © 2002, Embrapa

Topo da Página