Embrapa Arroz e Feijão
Sistemas de Produção, No.5
ISSN 1679-8869 Versão eletrônica
Dezembro/2005
Glossário

Introdução e Importância Econômica
Clima
Solos
Adubação
Cultivares
Produção de Sementes
Plantio e Tratos Culturais
Irrigação
Manejo de Plantas Daninhas
Doenças e Métodos de Controle
Pragas e Métodos de Controle
Normas Gerais para o Uso de agrotóxicos
Colheita
Pós-Colheita
Mercado e Comercialização
Coeficientes Técnicos, Custos, Rendimentos e Rentabilidade
Referências
Glossário
Autores

Expediente

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z

 

A

Absorção: processo físico pelo qual um material coleta e retém outro, com a formação de uma mistura. A absorção pode ser acompanhada de uma reação química.

Ácidos: são substâncias que reagem com a água produzindo ânions quaisquer e cátions exclusivamente H3O+.


Adsorção, adsorver: processo pelo qual átomos, moléculas ou íons são retidos na superfície de sólidos mediante interações de natureza química ou física.

Aeração: reoxigenação da água com a ajuda do ar. A taxa de oxigênio dissolvido, expressa em porcentagem de saturação, é uma característica representativa de certa massa de água e de seu grau de poluição. Para restituir a uma água poluída a taxa de oxigênio dissolvido ou para alimentar o processo de biodegradação das matérias orgânicas consumidoras de oxigênio, é preciso favorecer o contato da água e do ar. A aeração pode também ter por fim a eliminação de um gás dissolvido na água: ácido carbônico, hidrogênio sulfurado.

Agroquímicos, agrotóxicos: produtos químicos destinados ao uso em setores de produção, no armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas, nas pastagens, na proteção de florestas nativas ou implantadas e de outros ecossistemas, e também de ambientes urbanos, hídricos e industriais, cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, com o propósito de preservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos, bem como as substâncias e produtos empregados como desfolhantes, dessecantes, estimuladores e inibidores do crescimento.

Altitude: altura em relação ao nível do mar.

Amina: classe nitrogenada de compostos orgânicos que se deriva da amônia pela substituição, total ou parcial, dos hidrogênios por radicais alquila ou arila.

Aminoácido: molécula orgânica que contém pelo menos um grupamento amina e um grupamento carboxila. Constitui a unidade básica para a síntese de proteínas. Pode ser produzido sinteticamente, via fermentação e biotransformação, e são essenciais para um ser vivo.

Amontoa: processo que consiste em cobrir de terra a base das plantas para proteger raízes (ou tubérculos) adventícias ou para que se firmem melhor ao solo.

Amostra: porção representativa de água, ar, qualquer tipo de efluentes ou emissão atmosférica ou qualquer substância ou produto, tomada para fins de análise de seus componentes e suas propriedades.

Análise foliar: exame laboratorial das folhas com o objetivo de determinar o teor dos elementos fundamentais ao desenvolvimento da planta.

Análise do solo: exame laboratorial do solo com a finalidade de determinar o teor dos nutrientes (análise química) fundamentais ao desenvolvimento das plantas, sendo a base para a definição da recomendação dos tipos e quantidades de adubos a serem aplicados. É um procedimento de avaliação da fertilidade do solo, considerado um dos melhores parâmetros disponíveis para diagnóstico dos níveis de nutrientes antes do plantio, por possibilitar a correção da limitação nutricional naquela safra.

Apotécio: órgão de frutificação em forma de taça, no qual se abrigam os esporos.

Aração: prática agrícola que consiste em revolver a camada superficial do solo com um implemento chamado arado.

Arado: implemento agrícola que corta, eleva e inverte o solo para melhorar a aeração e a infiltração de água. Pode ser do tipo aiveca, fixo ou reversível e composto de disco ou grades.

Aspersão: aplicação de água ou outro líquido, em forma de pequenas gotas aplicadas simultaneamente em várias direções.

Autotrófica, autótrofo: organismo que, a partir de compostos inorgânicos, fabrica seu próprio alimento mediante fotossíntese ou quimiossíntese. Exemplos: as plantas verdes, as algas e algumas bactérias.

B

Bactérias: organismos microscópicos unicelulares que podem parasitar vegetais.

Biomassa: (1) quantidade total de organismos vivos existentes em um determinado território e em dado momento. (2) a massa de matéria vegetal existentes nas florestas ou a matéria orgânica não fóssil de origem biológica. (3) qualquer matéria de origem vegetal, utilizada como fonte de energia, para adubação verde ou para proteger o solo da erosão.

Biótica (o): refere-se aos organismos vivos, plantas e animais, de um ecossistema.

C

Calagem: método que consiste em adicionar substâncias cálcicas (cal, calcário) à terra para corrigir a acidez.

Calda: solução composta por água e agrotóxico.

Capacidade de troca de cátions (CTC): (1) capacidade que tem um solo de reter ou liberar nutrientes para serem absorvidos e aproveitados pelas plantas. (2) quantidade de cátions (alumínio, hidrogênio, cálcio, magnésio e potássio) que o solo é capaz de reter.

Caruncho: designação genérica dada aos insetos coleópteros que perfuram sobretudo cereais e madeira.

Célula fotoelétrica: aparelho que transforma luz em eletricidade.

Clamidosporo: célula hifal, fechada por uma grossa parede celular, que finalmente se separa da hifa mãe e comporta-se como esporo de resistência.

Clorofilômetro: medidor portátil que permite a obtenção de valores indiretos do teor de clorofila presente na folha de modo não destrutivo, rápido e simples.

Cobertura morta: camada de resíduos de planta espalhada sobre a superfície do solo que o protege contra a ação dos raios solares, do impacto das chuvas e de outras formas de erosão. A cobertura morta ajuda manter a umidade do solo possibilitando o desenvolvimento de vida microbiana que efetua a decomposição da matéria orgânica liberando o nitrogênio e outros elementos químicos fundamentais ao desenvolvimento das plantas.

Cobertura vegetal: tipos ou formas de vegetação natural ou plantada que recobrem uma certa área ou terreno.

Coeficientes técnicos: quantidades de fatores de produção - entre outros, insumos, mão-de-obra, horas máquina - necessários e produtos a serem obtidos pelo sistema de produção.

Compactação do solo: característica do solo que apresenta pouca ou nenhuma permeabilidade a líquidos, normalmente em conseqüência de manejo e utilização inadequados.

Compostos orgânicos: é a forma de adubo mais usada na agricultura orgânica. Resultam da mistura de substâncias que possuem o elemento carbono, como restos vegetais, estercos e outros materiais, orgânicos ou não.

Condição edafoclimática: condição de solo e clima.

Conservação: o conceito de conservação aplica-se à utilização racional de um recurso qualquer, de modo a se obter um rendimento considerado bom, garantindo-se, entretanto, sua renovação ou sua auto-sustentação. Assim, a conservação do solo é compreendida como a sua exploração agrícola, adotando-se técnicas de proteção contra erosão e redução de fertilidade. Analogamente, a conservação ambiental quer dizer o uso apropriado do meio ambiente, dentro dos limites capazes de manter sua qualidade e seu equilíbrio, em níveis aceitáveis.

Contaminação: (1) introdução, em um determinado meio ou local, de elementos nocivos à saúde humana, das plantas e dos animais, tais como organismos patógenos, substâncias tóxicas ou radioativas. (2) a ação ou efeito de corromper ou infectar por contato. Termo usado, muitas vezes, como sinônimo de poluição, porém quase sempre empregado, em português, em relação direta a efeitos sobre a saúde do homem.

Convencional (plantio): tecnologia de plantio que é realizada após um período de pausa ou de uma safra, geralmente para o plantio do mesmo tipo de cultura, envolvendo os métodos de preparo convencional do solo como limpar, arar, gradear, corrigir, fertilizar, semear, etc. Para tanto, são utilizados máquinas, equipamentos e implementos, sementes modificadas ou melhoradas e produtos químicos.

Corretivo do solo: qualquer substância ou material usado para corrigir uma (ou mais) característica do solo que seja(m) desfavorável(is) ao seu cultivo.

Cotilédone: (1) folha seminal ou embrionária, a primeira que surge quando da germinação da semente, e cuja função é nutrir a jovem planta nas primeiras fases de seu crescimento. (2) folha ou cada uma das folhas que se forma no embrião das angiospermas e gimnospermas e que, em algumas espécies, pode ser um órgão de reserva para o desenvolvimento da plântula.

CTC: ver Capacidade de troca de cátions.

Cultivo mínimo: (1) plantio em sulcos com espaçamento adequado, de uma dada cultura comercial, sobre uma área coberta com alta densidade de plantas de espécies protetoras e/ou melhoradoras do solo, no período de maturação desta, sem a necessidade de lavrar e/ou gradear integralmente a área. (2) consiste no revolvimento mínimo do solo e na manutenção dos resíduos vegetais, realizando-se escarificações e gradagens leves.

Culturas anuais: culturas cujo ciclo de vida (plantio e colheita) está compreendido no espaço de até um ano, por exemplo, feijão e soja.

Cutícula: camada de material de natureza cerosa (cutina), pouco permeável à água, revestindo a parede externa de células epidérmicas.

D

Declinação solar: a posição angular do sol, ao meio dia solar, em relação ao plano do Equador (Norte positivo).

Decomposição: em Biologia, é o processo de conversão de organismos mortos, ou parte destes, em substâncias orgânicas e inorgânicas, através da ação escalonada de um conjunto de organismos (necrófagos, detritóvoros, saprófagos decompositores e saprófitos própriamente ditos). Decomposição da matéria orgânica mediante sua transformação química em compostos simples, com resultante liberação de energia.

Déficit hídrico: resultado (negativo) do balanço hídrico em que o total de água que entra no sistema via precipitação é menor que a quantidade total de água perdida pela evaporação e pela transpiração pelas plantas.

Degradação do solo: compreende os processos de salinização, alcalinização e acidificação que produzem estados de desequilíbrio fisico-químico no solo, tornando-o inapto para o cultivo.

Deiscência: fenômeno em que um órgão vegetal (fruto, esporângio, antera etc.) abre-se naturalmente ao alcançar a maturação.

Deriva: fenômeno de arrastamento de gotas de pulverização pelo vento.

Dessecação: operação feita com o uso de produtos químicos apropriados que resulta na rápida secagem de todas as partes da planta cobertas pelo produto. Tem sido utilizada somente em plantas que são colhidas para sementes, frutos e tubérculos, em que a sobrevivência das folhas e caules após a colheita é desnecessária.

Disponibilidade: proporção de um nutriente que pode ser absorvido e utilizado pela planta para satisfazer as exigências nutricionais. É expressa em porcentagem.

Dissolução: processo pelo qual uma substância se dispersa em outra, formando uma mistura homogênea e monofásica.

Distróficos: solos em que a porcentagem de saturação por bases é inferior a 50%. São solos de fertilidade média ou baixa.

Dossel: parte formada pela copa das árvores que formam o estrato superior da floresta.

Drenagem: (1) processo de eliminação do excesso de água ou umidade do solo, através de canais ou dutos, tornando-o apto para o cultivo ou outros fins. (2) remoção natural ou artificial da água superficial ou subterrânea de uma área determinada.

E

Ecossistema: o conjunto dos seres vivos e do seu meio ambiente físico, incluindo suas relações entre si. Envolve os relacionamentos mútuos entre determinado meio ambiente e a flora, a fauna e os microorganismos que nele habitam, mantendo um equilíbrio biológico.

Época de semeadura: o período do ano recomendado para se instalar determinada espécie vegetal econômica.

Erosão: desgaste progressivo do solo decorrente do arraste de partículas de tamanho variável que o compõe, normalmente provocado pela ação da água, do vento, do homem ou dos animais.

Ervas daninhas, ervas invasoras: ver Plantas daninhas.

Escarificador: (1) implemento agrícola semelhante ao subsolador, porém mobiliza o solo em profundidades menores. Tem como função promover a desagregação do solo, no sentido de baixo para cima, em profundidade de até 35 cm através de hastes rígidas. (2) implemento de haste, utilizado no sistema de cultivo mínimo para romper a camada superficial do solo, de 15 cm a 30 cm, e que possibilita a movimentação do solo sem a inversão da leiva, mantendo grande parte dos resíduos vegetais na superfície que protege o solo da erosão.

Escleródio: corpo perdurante duro, resistente às condições desfavoráveis, que pode permanecer latente por longo período de tempo e germinar quando se apresentam condições favoráveis.

Espécie: (1) unidade básica de classificação dos seres vivos. (2) conjunto de indivíduos originários de um mesmo tronco, de aparência e estrutura semelhantes e que podem se reproduzir ilimitadamente entre si. (3) conjunto de indivíduos que guardam grande semelhança entre si e com seus ancestrais, e estão aptos a produzir descendência fértil. Várias espécies constituem um gênero.

Esporo: (1) estrutura, geralmente unicelular, resistente ao calor e à dessecação, capaz de germinar em determinadas condições e reproduzir assexuadamente o indivíduo que a originou. (2) pequena unidade de propagação que funciona como semente, mas que se diferencia dela porque o esporo não tem embrião pré-formado.

Estande: número de plantas por unidade de área.

Estresse: (1) conjunto de reações do organismo a agressões de ordem física, psíquica, infecciosa e outras, capazes de perturbar-lhe a homeostase (auto-regulação de um sistema ou organismo que permite manter o estado de equilíbrio de suas variáveis essenciais ou de seu meio ambiente). (2) condição de limitação ao desenvolvimento da planta.

Estresse hídrico: (1) condição de tensão que altera o equilíbrio de um sistema ou de um organismo vegetal causada pelo não fornecimento ou pelo fornecimento inadequado de água, alterando, desta forma, seu desenvolvimento. (2) condição de limitação ao desenvolvimento da planta pela ausência ou fornecimento inadequado de água.

Evaporação: passagem de uma substância do estado líquido para o gasoso efetuada a qualquer temperatura.

Evapotranspiração: soma da transpiração das plantas com a evaporação das superfícies, incluindo a do solo.

Expurgo: operação que visa a eliminação dos insetos que se encontram nos produtos armazenados em suas diversas fases de desenvolvimento. Para o expurgo utilizam-se defensivos conhecidos como fumigantes, sendo a fosfina (fosfato de alumínio) o mais utilizado atualmente.

Exsudato: líquido com alto teor de proteínas séricas e leucócitos, produzido como reação a danos nos tecidos e vasos sangüíneos.

F

Fertilidade (do solo): capacidade do solo em fornecer os nutrientes essenciais, em quantidade e proporção adequadas, para o crescimento da planta. Muitas vezes, a palavra fertilidade é confundida com produtividade do solo, mas produtividade é a capacidade do solo de produzir sob determinadas condições de manejo.

Fertilizante: substância natural ou artificial que contém elementos químicos e propriedades físicas que aumentam o crescimento e a produtividade das plantas, melhorando a natural fertilidade do solo ou devolvendo os elementos retirados do solo pela erosão ou por culturas anteriores.

Fisiológico: relativo ao estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios; biofisiologia.

Fosfina: hidreto de fósforo, gasoso, incolor e inflamável, cuja fórmula é PH3.

Fotoperíodo: é a duração do período luminoso do dia, o intervalo entre o nascer e o pôr do sol, em geral expresso em horas. A resposta da planta ao fotoperíodo é denominada fotoperiodismo.

Fotossíntese: (1) conversão de energia luminosa em energia química a partir do dióxido de carbono na presença de clorofila, ou seja, assimilação do carbono pelos organismos clorofilados na presença de luz. (2) processo pelo qual a energia solar é usada para formar as ligações químicas que mantêm juntas as moléculas orgânicas. (3) processo biológico pelo qual a planta portadora de pigmento capaz de absorver a energia do solo converte água, sais minerais e gás carbônico em substância orgânica e oxigênio. (4) processo de partição da molécula de água, em que parte do hidrogênio, através de uma seqüência de reações, se combina com o carbono do gás carbônico, para formar substâncias orgânicas, ficando como subproduto oxigênio livre.

Fungicida: produto destinado à prevenção ou ao combate de fungos; agrotóxico.

Fungos: (1) qualquer organismo pertencente ao reino Fungi, destituído de clorofila, folhas, caule verdadeiro ou raízes, que se reproduzem por esporos e que pode existir como célula única ou formar um corpo multicelular dito micélio, que consiste em filamentos denominados hifas. São encontrados, geralmente, em condições terrestres úmidas e, devido à ausência de clorofila, são ou parasíticos, ou saprofíticos, em relação a outros organismos. (2) grupo de organismos que se caracterizam por serem eucarióticos e aclorofilados; são considerados vegetais inferiores.

G

Germinação: (1) nas sementes, consiste numa série de processos que culminam na emissão da raiz. (2) início do desenvolvimento do embrião de um vegetal, momento em que há a ruptura do envoltório da semente e começam a aparecer pequenas raízes e folhas.

Gerplomasma: material hereditário que determina a característica de um organismo ou de um grupo de organismos.

Gradagem: (1) método que consiste em aplainar o solo por meio de grades puxadas por trator; também pode ser utilizada no combate às plantas daninhas. (2) técnica de limpeza de uma área efetuada após a aração com um implemento agrícola chamado grade que consiste em cortar e enterrar a vegetação e promover ligeira mobilização do solo. Obtém-se bons resultados em quase todos os tipos de solos, com exceção dos oriundos de areias ou com elevada porcentagem de afloramentos rochosos.

Grade: implemento agrícola usado para o destorroamento, nivelamento e limpeza do solo já lavrado, constituído de uma armação com dentes rígidos ou flexíveis, de formas diferentes e feito de madeira ou metal.

Granizo: é uma precipitação constituída por gelo proveniente do choque térmico entre as gotas de chuva quando estas atravessam uma camada de ar frio.

H

Herbicida: substância química ou biológica utilizada para destruir ou controlar o crescimento de plantas indesejáveis (plantas daninhas ou infestantes).

Herbicida pós-emergente: substância que controla o mato, se aplicada uniformemente sobre o solo úmido após a brotação das plantas daninhas.

Herbicida pré-emergente: substância que controla o mato, se aplicada uniformemente sobre o solo úmido antes do desenvolvimento das plantas daninhas.

Herbicida seletivo: é o herbicida que tem a especificidade na sua ação, ou seja, quando aplicado na área de plantio, não afeta de forma danosa a cultura principal, embora controle eficientemente o mato.

Heterotrófico: organismo que utiliza matéria orgânica sintetizada por outros organismos como fonte de energia e nutrição.

Hospedeiro: (1) vegetal que hospeda insetos e microorganismos, patogênicos ou não. (2) organismo vivo que hospeda, serve de substrato e/ou de fonte de energia para outro denominado de parasita, tornando-se o local onde o outro organismo (parasita) vive.

Húmus: material orgânico inerte, finamente dividido, resultante da decomposição microbiana de plantas e substâncias animais, composto aproximadamente de 70% de carbono, 6% de nitrogênio, e menores quantidades de fósforo e enxofre. A decomposição da matéria orgânica viva do solo torna essas substâncias próprias para serem utilizadas pelas plantas.

I

Infecção: (1) ataque agressivo por agente patogênico a um ser vivo. É o princípio ou origem de uma doença. (2) penetração em um organismo vivo de micróbios que perturbam seu equilíbrio.

Infestação: (1) ataque violento por um organismo de forma ampla e mais ou menos uniforme sobre uma área ou indivíduo. (2) penetração em um organismo de parasitas não-microbianos.

Infiltração: é o fenômeno de penetração de água em camadas de solo próximo à superfície, movendo-se para baixo, por ação da gravidade, através dos espaços vazios do solo, até atingir uma camada que a retém, formando, então, os lençóis d'água.

Ingrediente ativo: substância química ou biológica que dá eficiência aos defensivos agrícolas. É também referido como molécula ativa.

Inóculo: estruturas reprodutivas de um fungo, unidades bacterianas e partículas de vírus que, ao penetrar em uma planta, são capazes de induzir doenças.

Inorgânico: que não é composto de matéria animal ou vegetal.

Inseticida: substância usada para combater insetos e outros pequenos invertebrados, causando-lhes a morte.

Insumos: (1) conjunto de material utilizado na produção, tais como: fertilizantes, mudas, sementes, embalagens, combustível etc. (2) produto intermediário ou bem que deve sofrer transformação antes de ser consumido e que é indispensável à produção de outros, normalmente de maior valor agregado.

Intemperismo: conjunto de processos mecânicos, químicos e biológicos que ocasionam a desintegração e a decomposição das rochas. Ação da água, plantas, temperatura, microorganismos, vento, entre outros, no processo de desagregação física e modificação química dos materiais expostos à superfície terrestre. De modo geral, o intemperismo leva à diminuição da fertilidade dos solos devido à perda de nutrientes; por outro lado, o intemperismo melhora as propriedades físicas do solo. É também conhecido como meteorização.

J

K

L

Latitude: localização, em relação à linha do equador, de um dado ponto na superfície da Terra. É medida em graus, e a linha do equador está a zero grau. Sua representação é feita através de linhas paralelas que circundam o planeta horizontalmente e o dividem em Norte e Sul. Os pólos Norte e Sul estão a 90 graus em relação à linha do equador.

Latossolos: (1) uma das classes de solo do Sistema Brasileiro de Classificação de Solo. Solo de grande espessura, poroso, cor avermelhada, predominante de clima quente e úmido e pobre em nutrientes e minerais. (2) solos profundos, muito bem drenados, homogêneos e altamente intemperizados e liviados. Tendem a ter teores de argila médios ou altos.

Lixiviação: processo pelo qual os elementos químicos do solo migram, de forma passiva, das camadas mais superficiais de um solo para as camadas mais profundas, em decorrência de um processo de lavagem devido à ação da água da chuva ou de irrigação, tornando-se indisponíveis para as plantas. Nas regiões de clima úmido, os solos tornam-se estéreis com poucos anos de uso, devido, em grande parte, aos efeitos da lixiviação. A lixiviação também ocorre em vazadouros e aterros de resíduos, quando são dissolvidos e carreados certos poluentes ali presentes para os corpos d'água superficiais e subterrâneos.

M

Macronutrientes: os nutrientes essenciais para o desenvolvimento da planta e os consumidos por elas em maior quantidade. Dividem-se em: primários, nitrogênio, fósforo e potássio; e secundários, cálcio, magnésio e enxofre.

Manômetro: instrumento com que se mede a pressão de fluidos.

Matéria orgânica: (1) matéria de origem vegetal, animal ou microbiana, viva ou morta, em qualquer estado de conservação, passível de decomposição. (2) porções não-minerais sólidas do solo originadas dos resíduos dos animais e das plantas. As principais fontes de matéria orgânica utilizadas para a nutrição dos vegetais são os adubos verdes, os resíduos vegetais, palhas, serragens, cascas de madeira, restos de culturas, restos industriais, turfa natural, vinhaça, estercos e restos de aves e peixes.

Maturação fisiológica: período durante o qual cessa a translocação dos fotossintatos e, a partir daí, a planta aciona mecanismos para desidratação das sementes. Nesta fase, as sementes estarão praticamente desligadas da planta mãe, considerando-se armazenadas nas condições de campo. Durante este processo ocorrem transformações morfológicas e fisiológicas nas sementes, como alteração no tamanho, modificação no teor de água, acúmulo de matéria seca e modificações na germinação e no vigor.

Melhoramento genético: (1) técnica utilizada para modificar o padrão genético de um organismo com a finalidade de torná-lo mais adequado ao uso, possibilitando uma produção mais econômica e o aumento do rendimento e da resistência ao ataque de outros organismos. (2) envolve a melhoria dos cultivos agrícolas através de vários métodos desenvolvidos em função dos avanços da Genética, como seleção, hibridação, indução artificial de mutações e outros. Tais métodos de melhoramento genético são genericamente denominados de convencionais ou clássicos.

Micrômetro de gancho: consiste de um parafuso terminado por um gancho. Esse parafuso desloca-se verticalmente dentro de uma luva, que possui três braços divergentes os quais servem para apoio do micrômetro sobre a borda do poço tranqüilizador. Na parte superior da luva, há um disco graduado que, ao ser girado o parafuso, mede os seus deslocamentos. No próprio parafuso estão assinalados os números inteiros que indicarão o total de água evaporada em milímetros.

Micronutrientes: elementos de grande importância não só pelo papel que representam na nutrição, mas também no aumento das defesas e resistência das plantas; nutrientes que as plantas consomem em menor quantidade, mas são de suma importância para o seu desenvolvimento. Os principais micronutrientes são: boro, molibdênio, zinco, ferro e cobre. As fontes de micronutrientes mais importantes são as algas, o basalto, o granito e os sais.

Microorganismo: forma de vida de dimensões microscópicas, tais como os fungos, bactérias, vírus e micoplasmas. Para atividade agropecuária, recebem atenção especial os que habitam os solos e convivem com as plantas e animais, de modo benéfico ou prejudicial para serem combatidos.

Mineralização: processo de transformação de matéria orgânica em substâncias inorgânicas, que ocorre no solo, geralmente de forma lenta, a partir do qual retornam ao solo os nutrientes retirados pelas plantas.

Monitoramento: (1) acompanhamento, avaliação e controle das condições ou de fenômenos, naturais ou artificiais, com o objetivo de obter dados quantitativos e qualitativos que possibilitem maior conhecimento sobre eles, identificando, assim, possíveis riscos ou oportunidades que possam ser controlados ou aproveitados e minimizar eventos indesejáveis. (2) coleta, para um propósito predeterminado, de medições ou observações sistemáticas e intercomparáveis, em uma série espaço-temporal, de qualquer variável ou atributo ambiental, que forneça uma visão sinóptica ou uma amostra representativa do meio ambiente.

N

Nematóide: (1) organismo parasita de forma cilíndrica que ataca as raízes das plantas, principalmente as espécies folhosas. (2) animal de corpo vermiforme, cilíndrico ou filiforme, afilado nas extremidades, revestido por uma cutícula composta, e apenas os músculos longitudinais presentes.

Nitrificação: transformação dos sais amoníacos encontrados nos solos em nitratos pelos organismos que nele vivem através da utilização da matéria orgânica nitrogenada.

Nutrição: (1) processo pelo qual os organismos retiram do meio a energia e a matéria necessárias ao seu crescimento, desenvolvimento, multiplicação, manutenção e exercício de suas faculdades. (2) conjunto de processos de assimilação, constituindo a ingestão, digestão e a absorção de elementos indispensáveis ao crescimento e desenvolvimento de um ser vivo.

Nutriente: qualquer substância do meio ambiente, seja ela orgânica ou inorgânica, indispensável ao desenvolvimento de uma planta, animal ou de qualquer outra espécie de organismo vivo.

O

Oxidação: (1) qualquer troca química que implica na adição de oxigênio ou seu equivalente químico. É um processo que se realiza de forma permanente nos solos, em geral por meio da hidratação de compostos ferrosos. (2) reação que, envolvendo um elemento químico, ocasiona perda de elétrons e conseqüente aumento de sua carga.

P

Partículas: (1) pequenos pedaços ou fragmentos de qualquer material que se aglutinam para formar um corpo. (2) partículas sólidas ou líquidas finamente divididas no ar ou em uma fonte de emissão. Os particulados incluem poeira, fumo, nevoeiro, aspersão e cerração.

Patógeno: organismo capaz de atacar outros organismos vivos (plantas e animais) e causar doenças. São, geralmente, bactérias, fungos ou vírus.

Patótipo: população do patógeno com uma característica patogênica em comum.

Período de carência: é o intervalo obrigatório entre a aplicação de um agrotóxico e a colheita do produto tratado. Este intervalo pode ser desde alguns dias até meses, dependendo da cultura que está sendo tratada, do produto que está sendo usado, da formulação do produto etc.

Peso específico: relação entre o peso e o volume; também denominado de densidade relativa, é o número que indica quantas vezes um certo volume de material é mais pesado que um mesmo volume de água destilada a 4oC.

pH: abreviação de "potencial hidrogeniônico", que é uma escala usada para medir a acidez ou a alcalinidade de soluções evitando o uso de expoentes, através da medida de concentração do íon hidrogênio em solução. É dado matematicamente como o logaritmo negativo da concentração de H+. O pH abaixo de 7 é ácido; acima de 7, alcalino; e 7 é considerado neutro.

Plantas daninhas: o mesmo que ervas invasoras; qualquer espécie vegetal, nativa ou introduzida, que cresce em local e momento inadequados, e que compete por água, luz e nutrientes com a cultura principal.

Plantio direto: tecnologia de plantio que consiste em plantar as espécies sem fazer o revolvimento ou preparo do solo com utilização de máquinas pesadas, efetuando rotação de culturas e mantendo cobertura morta ou palha para proteção do solo contra erosão e perda de nutrientes. Os sistemas de plantio direto e cultivo mínimo constituem hoje uma tendência geral para todas as áreas agrícolas, agropecuárias e florestais, uma vez que representam uma substancial redução de custos e uma alternativa benéfica no que se refere à preservação e recuperação de ambientes.

Plântula: estádio inicial do desenvolvimento do embrião, em decorrência da germinação da semente, até a formação das primeiras folhas.

Poder relativo de neutralização total (PRNT): elemento de suma importância na escolha de um calcário, é expresso em porcentagem, e quanto maior, melhor.

População: conjunto de indivíduos da mesma espécie que vive em uma mesma área geográfica no mesmo espaço de tempo, mantendo entre si certa independência.

População (ideal) de plantas: o número de plantas por unidade de área que conduz à mais alta produção por área, em uma determinada condição de solo, clima, cultivar e tratos culturais.

Pós-colheita: período que vai da colheita ao processamento.

Pragas: qualquer forma de vida vegetal ou animal, ou qualquer agente patogênico daninho ou potencialmente daninho para os vegetais e produtos vegetais.

Pré-emergente: ver Herbicida pré-emergente

Precipitação pluvial: fenômeno pelo qual a nebulosidade atmosférica se transforma em água formando a chuva.

Preparo do solo: ato de escarificar a superfície do solo, com o objetivo de propiciar condições satisfatórias para o plantio, germinação das sementes, emergência das plântulas, desenvolvimento e produção das plantas, e também eliminar as plantas daninhas, controlar a erosão e descompactar o solo.

Pulverização: aplicação de líquidos em pequenas gotas.

Pureza física: caracterizada pela proporção de componentes físicos presentes no lote de sementes, como sementes puras, sementes silvestres, outras sementes cultivadas e substâncias inertes. A condição física é distinguida pelo teor de umidade, tamanho, cor, densidade, injúrias mecânicas e causadas por insetos, e uniformidade quanto a essas características.

Q

Qualidade fisiológica: todos os atributos que indicam a capacidade da semente de desempenhar funções vitais, sendo caracterizada pelo poder germinativo, pelo vigor e pela longevidade.

R

Raça: grupo de seres vivos de uma população em uma espécie, com características hereditárias fixas e definidas que as distinguem de outras populações da mesma espécie.

Radiação solar: conjunto de radiações emitidas pelo Sol que atingem a Terra e que se caracterizam por curto comprimento de onda.

Regiões subtropicais: regiões que apresentam um inverno pouco rigoroso e temperaturas médias em torno de 30°C.

Regiões tropicais: regiões onde não ocorre inverno e as temperaturas médias são sempre superiores a 20°C.

Resíduo: substância ou mistura de substâncias remanescentes ou existentes em alimentos ou no meio ambiente, decorrentes do uso ou não de agrotóxicos ou afins, inclusive qualquer derivado específico, tais como produtos de conversão e de degradação, metabólitos, produtos de reação e impurezas, considerados toxicológica e ambientalmente importantes.

Roguing: operação que prevê a eliminação das plantas que estão fora do padrão durante todo o ciclo da cultura.

Rotação de culturas: (1) técnica que utiliza o mesmo espaço físico para cultivar espécies diferentes de plantas em período de tempo alternado, observado um período mínimo sem o cultivo desta espécie na mesma área. (2) alteração da espécie a ser cultivada no ciclo seguinte ao da lavoura atual.

S

Salinidade: medida de concentração de sais minerais dissolvidos na água.

Saturação: condição de um líquido quando guarda em solução a quantidade máxima possível de uma dada substância em certa pressão e temperatura.

Saturação por bases: índice de acidez do solo definido como a proporção da capacidade de troca de cátions (CTC) ocupada por bases trocáveis, que são K+, Ca2+, Mg2+ e Na+.

Secagem: operação de grande importância para a conservação e manuseio de produtos que consiste na retirada da umidade, de forma natural ou artificial, evitando o fenômeno da fermentação.

Senescência: (1) falha geral de várias reações bioquímicas que precedem a morte celular - esta fase se estende da maturação completa até a morte. (2) que está em processo de envelhecimento.

Sistema de produção: conjunto de práticas e procedimentos inerentes à implantação e condução de uma lavoura.

Sistema radicular: parte da planta responsável pela sua sustentação e nutrição.

Sistema Santa Fé: Sistema Santa Fé: tecnologia desenvolvida pela Embrapa Arroz e Feijão para a integração lavoura-pecuária, em 1993, é também uma ferramenta valiosa para obtenção de boas palhadas e recuperar a qualidade de solos degradados ou infestados por patógenos que habitam o solo. A partir do consórcio de culturas anuais (milho, sorgo) com forrageiras, com ênfase nas braquiárias (ex: B. brizantha ou B. ruzisiensis), esse sistema pode ser utilizado para a supressão de patógenos de solo, pelo aporte de 10 a 12 toneladas de matéria orgânica por hectare, recuperação de sua estrutura física, e incremento da atividade microbiana por outros fungos e bactérias que agem fazendo um controle biológico natural dos patógenos de solo. Além disso, as braquiárias formam uma palhada de qualidade excelente para o Sistema Plantio Direto. Para obter os benefícios dessa técnica, o ideal é que os produtores utilizem o Sistema Santa Fé por pelo menos dois anos consecutivos, antes de retornar à produção de grãos.

Solubilidade: capacidade que uma substância tem de se dissolver num meio líquido.

Subirrigação: método de irrigação, comum em várzeas, pelo qual a água é aplicada diretamente sob a superfície do solo, geralmente por meio da criação, manutenção e controle do lençol freático a uma profundidade preestabelecida.

Subsolador: implemento agrícola que mobiliza o solo em profundidade através de hastes retas, curvas ou parabólicas, rompendo camadas compactadas que dificultam a penetração das raízes e a infiltração de água.

Sulcador: implemento agrícola que executa a abertura de sulcos para semeadura, plantio ou transplante de diversas culturas.

Sulcos: (1) vala pequena feita por implemento agrícola para plantio de mudas ou sementes. (2) fenda relativamente superficial causada por erosão. (3) sistema de irrigação em que a distribuição da água é feita através de pequenos canais ou sulcos paralelos às fileiras das plantas. (4) método de irrigação superficial, no qual se faz passar água nos sulcos entre as linhas de culturas.

Suscetibilidade: tendência ou predisposição de um organismo em sofrer os efeitos de um patógeno ou condições adversas.

Suscetível: (1) capaz ou passível de receber, experimentar ou sofrer certas impressões ou modificações ou de adquirir determinadas qualidades. (2) que tem tendência para sentir influências ou contrair doenças.

T

Tegumento: (1) invólucro ou estrutura que envolve, reveste e protege um órgão vegetal ou parte dele. (2) camada ou conjunto de camadas externas de tecido que envolve a semente.

Tempo de cocção: tempo de cozimento.

Transdutor: (1) sistema ou dispositivo capaz de transformar uma forma de energia em outra. (2) circuito capaz de transformar um sinal de entrada de natureza mecânica ou eletromagnética, por exemplo, som ou luz, em sinais elétricos de saída e vice-versa.

Tratamento de sementes: aplicação de produtos com o propósito de proteger a semente do ataque de pragas e patógenos ou melhorar a sua capacidade de produzir uma planta normal.

Tratos culturais: conjunto de práticas executadas numa plantação - limpeza da área, adubação, conservação do solo e das plantas, irrigação, entre outras - buscando propiciar condições mais favoráveis ao crescimento e à produção da cultura.

Turgescência: processo pelo qual uma célula (tecido ou órgão), ao absorver água, torna-se intumescida, por meio do aumento da pressão interna.

U

Umidade relativa do ar: (1) a razão, expressa em porcentagem, entre o conteúdo do vapor de água no ar e a pressão máxima do vapor de água à mesma temperatura. (2) quantidade de vapor de água contido no ar, medido em porcentagem, em relação ao máximo de vapor que aquele ambiente pode conter (saturação).

V

Vacuômetro: manômetro com que se medem pressões abaixo da pressão atmosférica (por exemplo, em bombas de ar, condensadores de vapor etc.).

Variabilidade genética: quantidade da variação genética existente para uma determinada espécie.

Variedade: (1) taxonomicamente, é uma subdivisão de indivíduos da mesma espécie que ocorrem numa localidade, segundo suas formas típicas diferenciadas por um ou mais caracteres de menor importância. (2) na agricultura, designa populações melhoradas que diferem entre si em caracteres de importância econômica. É um material geneticamente estável. (3) termo utilizado para subclassificar grupos dentro de uma mesma espécie vegetal. Uma variedade é constituída por um grupo de indivíduos que se assemelham fenotipicamente em relação a várias características uniformes e estáveis que a diferenciam de outras variedades.

Vascular: refere-se aos vasos do xilema (parte linificada ou lenhosa do sistema vascular dos vegetais superiores) e do floema (o tecido condutor da seiva elaborada ou orgânica nos vegetais vasculares) da planta.

Veranico: sucessão de dias mais quentes após os primeiros dias invernais, é assim também denominado o período de estiagem durante a estação chuvosa, com dias de intenso calor e insolação.

Vigor: característica genética que pode ser modificada fenotipicamente e que revela a capacidade de um organismo gerar produtos mais rapidamente e suportar significativas interferências do meio ambiente.

Vírus: cada um de um grupo de agentes infecciosos diminutos - de 10 nm a 250 nm de diâmetro -, caracterizados pela falta de metabolismo independente e pela habilidade de se replicarem somente no interior de células vivas hospedeiras.

Volatilização: passagem de uma substância do estado sólido ou líquido para o estado gasoso.

 

W

X

Y

Z

 

Todos os direitos reservados, conforme Lei nº 9.610.