Embrapa Arroz e Feijão
Sistemas de Produção, No.6
ISSN 1679-8869 Versão eletrônica
Dezembro/2005
Cultivo do Feijão da Primeira e Segunda Safras na Região Sul de Minas Gerais
Magno Antonio Patto Ramalho

Introdução e Importância Econômica
Clima
Solos
Calagem e Adubação
Cultivares
Produção de Sementes
Plantio
Tratos Culturais
Manejo de Plantas Daninhas
Doenças e Métodos de Controle
Pragas e Métodos de Controle
Normas Gerais para o Uso de Agrotóxicos
Colheita e Pós-Colheita
Mercado e Comercialização
Coeficientes Técnicos, Custos, Rendimentos e Rentabilidade
Referências
Glossário
Autores

Expediente

Plantio
Épocas de semeadura
Sistemas de semeadura
Espaçamento e profundidade de semeadura
Tratamento da semente

Épocas de semeadura
O feijão sem irrigação na região sul de Minas Gerais é cultivado em duas épocas: na denominada época "das águas", com semeadura em outubro-novembro; e na "seca", com semeadura em fevereiro-março. Na época "das águas", o principal risco é a colheita coincidir com períodos de chuvas intermitentes, podendo causar perdas na produtividade e na qualidade do produto. Na "seca", a ausência de precipitação pluvial, chuva, durante o desenvolvimento da cultura por períodos prolongados, é o principal risco.
É comum alguns agricultores atrasarem a operação da safra das "águas", deixando para semear o feijão em dezembro. Essa prática deve ser evitada, pois as plantas da cultura semeada nesse mês vegetam demasiadamente em detrimento da produção de grãos e, por conseguinte, da produtividade. De modo análogo, muitos agricultores que plantam na época da "seca" antecipam a semeadura para janeiro, o que também deve ser evitado. Resultados de pesquisa têm comprovado que é muito pequena a probabilidade de sucesso com a cultura quando a semeadura é antecipada.
Não obstante o fato de a semeadura do feijão consorciado nas entrelinhas da cultura do café ser uma prática habitual no sul de Minas Gerais, o sucesso do cultivo do feijão, nessa região, é atribuído à prática da rotação de culturas, sendo a mais comum a rotação milho-feijão.
É importante ressaltar que o feijão nunca deve ser semeado numa área em que a cultura anterior também tenha sido feijão.

Sistemas de semeadura
A semeadura do feijão pode ser feita pelos sistemas convencional ou plantio direto.

Pelo sistema convencional, a semeadura é feita após a aração e a gradagem da área. Em geral, uma passagem de grade é suficiente, mas, sendo necessária uma segunda, esta deve ocorrer o mais próximo possível da semeadura.
Para a semeadura direta deve-se fazer a dessecação. O produto a ser utilizado pode variar dependendo da cobertura existente no solo. Contudo, considerando que a ocorrência mais comum são as gramíneas perenes, como as braquiárias, a recomendação habitual é para que se utilize o herbicida glifosate. Em geral, a dessecação deve ser realizada cerca de 15 dias antes da semeadura. Nesse intervalo é possível observar se a dessecação foi eficiente e, sendo necessário, fazer o repasse. Deve-se ficar atento às recomendações do fabricante com relação à dosagem, quantidade e qualidade da água a ser utilizada na aplicação.

Espaçamento e profundidade de semeadura
A recomendação de espaçamento para o feijão, no sul de Minas Gerais, é de 45 cm a 50 cm entre linhas, com 12 a 18 sementes por metro linear. O ideal é que, após a emergência, fiquem de 200 mil a 250 mil plantas por hectare.
A profundidade de semeadura deve ser de 3 cm a 5 cm e, sempre que possível, deve-se utilizar uma semeadora para que o adubo seja colocado ao lado e abaixo da semente.

Tratamento da semente
É aconselhável fazer o tratamento de sementes, especialmente com inseticida. Os produtos registrados para essa finalidade são relacionados na Tabela 1. Se for comum a ocorrência de patógenos na propriedade, é aconselhável usar também um fungicida no tratamento de sementes.


Tabela 1. Inseticidas recomendados para o tratamento de sementes de feijão.
Nome técnico
Nome comercial
Dose
Acephate Orthene 750 BR para sementes 1,0 kg / 100 kg de sementes
Carbofuran Ralzer 350 GR 2,0 L / 100 kg de sementes
Carbosulfan Marzinc 250 TS 1,5-2,0 kg / 100 kg de sementes
Imidacloprid Gaucho 0,2 kg / 100 kg de sementes
Imidacloprid Gaucho 0,25 L / 100 kg de sementes
Thiamethoxan FS Cruiser 700 0,1-0,15 kg / 100 kg de sementes
Thiodicarb WS Futur 300 2,0 L / 100 kg de sementes

 

Informações Relacionadas

Recomendações para a cultura do feijoeiro em Minas Gerais.

Todos os direitos reservados, conforme Lei nº 9.610.