Embrapa Florestas
Sistemas de Produção, 2
ISSN 1678-8281 Versão Eletrônica
Cultivo da Grevílea nas Regiões Sul e Sudeste do Brasil

Autores
José Carlos Duarte Pereira
Emerson Gonçalves Martins

Cultivo da GrevÝlea

1.Importância socioeconômica e ambiental
2.Generalidades sobre a espécie
3.Taxonomia e descrição
4.Distribuição geográfica
5.Propriedades e utilização da madeira
6.Melhoramento genético
7.Requerimentos ecológicos da espécie
8.Sementes
9.Formação de mudas
10.Implantação
11.Manutenção
12.Pragas e doenças
13.Manejo
14.Sistemas agroforestais
15.Coeficientes técnicos e custos
16.Mercado e comercialização
17.Referências
18.Equipe
Expediente

Glossário
Entrada

 

Propriedades e utilização da madeira
A madeira de grevílea (Figura 1) é utilizada para diversas finalidades, desde a simples produção de lenha (Figura 2) até a utilização para dormentes, painéis, compensados e até móveis, como éçã caso de uma fábrica no Noroeste do Estado do Paraná, município de Alto Paraná, que produz camas e cadeiras unicamente com grevílea. É uma madeira que apresenta um desenho belíssimo (Figura 3), e aceitaçã trabalho de  usinagem.

Figura 1. madeira de grevílea
Fot.: Emerson Gonçalves Martins
Figura 2. Lenha de grevilea
Fot.: Emerson Gonçalves Martins

 

Figura 2. Desenho da madeira de grevílea
Fot.: Emerson Gonçalves Martins
A madeira de grevílea não é recomendada para uso externos devido a sua baixa durabilidade. Para usos mais nobres requer secagem lenta, sendo bastante fácil de se trabalhar.çãs autores também informam que a madeira apresenta variações acentuadas na sua aparência, e como restriçãoçãs produtores de móveis apontam a dificuldade de acabamento em algumas tábuas. A espiralização acentuada exibida por diversas árvores parece ser a causa desse problema. Entretanto nem todas as árvores são espiraladas, evidenciando deste modo a importância de um programa de melhoramento para qualidade da madeira.

Densidade básica da madeira; 0,515 g/cm3.

Densidade básica da casca; 0,493 g/cm3.

Coeficientes de retratibilidade.
     Radial; 3,4%.
     Tangencial; 7,9%.
     Longitudinal; 0,2%.
     Volumétrica; 11,6%

Coeficiente de anisotropia; 2,3.
Teor de extrativos totais; 3,2%.
Teor de lignina; 22,1%.
Teor de holocelulose; 74,7%.
Poder calorífico da madeira; 4.528 cal/g

Rendimento da destilação seca da madeira;
     em carvão; 32,5%
     em gases não condensáveis; 28,4%

Análise química do carvão produzido;
     teor de carbono fixo; 81,1%
     teor de voláteis; 16,6%
     teor de cinzas; 2,3%

Propriedades tecnológicasçãbtidas por Pereira et al., (1998)

A utilização do melhoramento genético, técnicas silviculturais mais adequadas e a seleção direcionada para a melhoria da qualidade da madeira é largamente recomendável para torná-la ainda mais importante como fornecedora de madeira para finalidades nobres.

 

Todos os direitos reservados, conforme Lei nº 9.610

Topo da Página