Embrapa Meio-Norte
Sistema de Produção, 3
ISSN 1678-8818 Versão Eletrônica
Jul/2003
Produção de Mel
Autores
Início

Introdução e Histórico
Importância econômica
Raças de Abelhas Apis mellifera
Mel
Morfologia e Biologia
Organização Social e Desenvolvimento
Equipamentos
Instalações
Povoamento da Colmeia
Manejo produtivo das colmeias
Alimentação
Doenças e Inimigos Naturais
Substituição de Rainhas
Colheita
Extração e Processamento do Mel
Comercialização
Referências bibliográficas
Glossário


Expediente

Comercialização

Informações de Mercado


A produção mundial de mel teve uma tendência crescente nos últimos 20 anos, apesar das flutuações, em regiões e países (industrializados e não-industrializados), atribuídas a um aumento no número de colméias e da produção por colônia. O consumo também aumentou durante os últimos anos, sendo atribuído ao aumento geral nos padrões de vida e também a um interesse maior em produtos naturais e saudáveis.

O mundo produz 1.200.000 toneladas de mel por ano. A Alemanha compra 50% do mel exportado no mundo e só produz 33.000 t/ano. A China é o principal exportador de mel para a Alemanha até 1987. No Japão, 60% do mel consumido se destina a usos na indústria e 40% constitui mel de mesa. O Japão tem-se transformado num dos maiores importadores de mel, principalmente devido à redução do número de apicultores, em decorrência da competição dos preços de importação e da diminuição de áreas melíferas. A Argentina, que produz cerca de 60.000t/ano, consome só 10.000 t/ano e possui uma área de apenas 2.776.700 Km2 (Munhoz, 1997). 

Desde o início de 2002, decisões dos EUA e da Comunidade Européia suspenderam a importação de mel da China devido aos altos índices de resíduos de drogas veterinárias encontrados no mel oriundo daquele país. Concomitantemente, os EUA suspenderam também a importação de mel da Argentina, alegando distorções no preço do produto, o que estava promovendo uma concorrência desleal com os próprios produtores americanos.
 

Preço

Estes acontecimentos provocaram uma importante redução da oferta e, consequentemente, um desequilíbrio na relação oferta-demanda, elevando significativamente o preço do mel. Até 2001, o quilograma do mel era vendido, no mercado interno, em um intervalo de preço que variava de R$ 1,50 a R$ 2,00. Após o desequilíbrio citado, o quilograma do mel chegou a atingir  R$ 4,50 no mês de setembro, no Estado do Piauí, preço líquido pago ao produtor. Mesmo considerando que é uma situação conjuntural, a tendência é de que esse preço se estabilize em patamares significativamente superiores aos praticados até 2001, pois a crise da apicultura chinesa, maior produtor e exportador mundial, é de difícil solução.
 

Comercialização

Esses dois fatos estão contribuindo para colocar o Brasil, pela primeira vez, na rota do mercado mundial. Até 2001, a produção brasileira de mel era totalmente consumida no mercado interno. 

No Brasil, as importações são maiores que as exportações. Praticamente tudo o que se produz é consumido no mercado interno. Os altos custos de produção e o bom preço do mercado interno, até 2001, desestimulavam a exportação. O consumo per capta é inferior a 300g/ano. A Argentina exporta cerca de 2,2% de sua produção para o Brasil (1.300t/ano) e o Uruguai 4% (350 t/ano) (Munhoz, 1997), observando-se que a área do Uruguai é 176.200 km2 e da Argentina é 2.776.700 Km2. A área territorial do Brasil é 8.512.700 Km2, três vezes maior que a Argentina e 48 vezes maior que o Uruguai. 
Segundo dados disseminados pelo Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior, denominado ALICE-Web, da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as importações e exportações brasileiras de mel natural, de 1998 a 2001 (jan/dez), tiveram comportamentos inversos: enquanto as importações diminuíram, as exportações aumentaram (Tabela 8). A produção de mel nesse mesmo período também apresentou tendência crescente (Tabela 9), em função do aumento do número de colmeias e da produtividade.

Tabela 8. Exportações e importação brasileiras de mel natural, de 1998 a 2001*.

Produção de mel (Toneladas)
Ano
1998
1999
2000
2001
Importações
2.428,8
1.820,7
287,2
252,5
Exportações
16,7
18,6
268,9
1814,4
*até novembro 2001.
Fonte: SECEX - Sistema ALICE.

Tabela 9. Produção de mel de abelhas no Brasil, 1998 a 2001, segundo a FAO.
Produção de mel (Mt)
Ano
 
1998
1999
2000
2001
Brasil
18,308
19,751
21,865
20,000
Fonte: http://apps.fao.org/

Segundo Vilela (2000), nos últimos 15 anos a atividade apícola cresceu 94,7% no Piauí, com uma importante expansão entre 1996 e 1998, quando o aumento foi de 39,7%, numa média de 13,23% ao ano. Entretanto, entre 1999 e 2000 o incremento foi de apenas 6%, redução que pode ser atribuída às dificuldades encontradas nos anos de 1998 e 1999, devido ao longo período de estiagem, provocado pelo fenômeno El Niño, quando muitos apicultores perderam entre 80 e 100% de seus enxames, desistiram da atividade e desmotivaram futuros produtores. O registro de importações de mel pelo Estado, em 1999, de 20 toneladas (SECEX - Sitema Alice) vem confirmar esta ocorrência. Este comportamento também foi confirmado nos registros de exportações de mel do Piauí de 1998 a 2001, considerados insignificantes.
 

Coeficientes Técnicos, Custos, Rendimentos e Rentabilidade

A tabela abaixo explicita os principais parâmetros para o estabelecimento da relação custo-rentabilidade, considerando diferentes categorias de apicultores de acordo com o tamanho do empreendimento, que é definido pela quantidade de colméias com as quais ele trabalha.

DISCRIMINAÇÃO P/ 100 COLMÉIAS

Custo anual Total (R$).................................   3.766,77
Preço de Venda (R$/kg de mel)......................        1,40
Produção (kg de mel)...................................   3.000,00
Receita Total (R$).......................................   4.200,00
Preço de Custo (R$/kg de mel).......................         1,27
Lucro (R$/kg de mel)....................................         0,13


DISCRIMINAÇÃO P/ 350 COLMÉIAS

Custo Anual Total (R$).................................   9.786,70 
Preço de Venda (R$/kg de mel)......................         1,40
Produção (kg de mel)...................................  10.500,00
Receita Total (R$).......................................  14.700,00
Preço de Custo (R$/kg de mel).......................         0,93
Lucro (R$/kg de mel)....................................         0,47


DISCRIMINAÇÃO P/ 1000 COLMÉIAS

Custo Anual Total (R$).................................  27.281,90 
Preço de Venda (R$/kg de mel)......................          1,40
Produção (kg de mel)...................................   30.000,00
Receita Total (R$) ........................................ 42.000,00
Preço de Custo (R$/kg de mel)......................           0,91
Lucro (R$/kg de mel)...................................           0,49


        100 a 350 colmeias - individual

 

 

 

Copyright © 2002, Embrapa

Topo da página