Embrapa Algodão
Sistemas de Produção, No. 5
ISSN 1678-8710 Versão Eletrônica
Dez./2006

Cultivo do Sisal

Autores

Sumário

Apresentação
Importância econômica
Clima
Solos
Cultivares
Plantio
Tratos culturais
Doenças
Colheita e pós-colheita
Mercado e comercialização
Coeficientes técnicos
Referências
Glossário

Expediente


Apresentação

A importância do sisal para a economia do setor agrícola nordestino pode ser analisada sob diversos aspectos, merecendo destaque a geração de renda e emprego para um contingente de aproximadamente 800 mil pessoas, proporcionando divisas para os Estados da Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Na Bahia, maior produtor desta cultura, com mais de 95% da produção da fibra nacional, o cultivo do sisal se estende por 75 municípios atingindo uma área de 190 mil ha, em propriedades de pequeno porte, menores que 15ha, nas quais predominam a mão-de-obra familiar, perfazendo uma população de aproximadamente 700 mil pessoas que vivem, direta ou indiretamente, em estreita relação com esta fibrosa.

Apesar de sua importância, o desempenho dessa cultura no Estado vem sofrendo, nos últimos anos, declínio na área plantada e na produtividade estando os principais fatores responsáveis por este declínio ligados diretamente ao baixo valor pago pela fibra, à competição com os fios sintéticos, ao alto custo de produção, a falta de máquinas modernas para a colheita, a longos períodos de estiagem e sobretudo ao fato de ser aproveitado apenas 3 a 4% do total da planta, referentes à porção da fibra.

Mesmo diante destas dificuldades, é preciso se entender que o sisal continua sendo uma das poucas opções econômicas para a região semi-árida do Nordeste do Brasil e dificilmente uma outra cultura poderá ser mais rentável economicamente e mais vantajosa para a área em questão, por isso e é imprescindível garantir sua continuidade, realizar estudos e trabalhos capazes de estimular a expansão e promover o progresso tecnológico.

Este Sistema de Produção reúne os conhecimentos gerados na Embrapa ao longo de 20 anos de pesquisa e descreve de forma sucinta e objetiva os segmentos da cadeia produtiva do sisal. Aborda ainda, o aproveitamento dos resíduos oriundos do desfibramento, com ênfase na utilização da mucilagem para alimentação animal.

Esperamos que estas informações forneçam os subsídios para o soerguimento da cultura de forma sustentável.


 

Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.

Topo da Página