Embrapa Embrapa Uva e Vinho
Sistema de Produção, 5
ISSN 1678-8761 Versão Eletrônica
Nov./2003
Cultivo da Videira Niágara Rosada em Regiões Tropicais do Brasil
Marco Antônio Fonseca Conceição
João Dimas Garcia Maia
Início

O Clima em Regiões Tropicais do Brasil
Implantação do Vinhedo
Poda e Quebra de Dormência
Adubação da Videira Niágara Rosada
Manejo de Plantas Daninhas
Doenças e seu Controle
Insetos Pragas e seu Controle
Normas Gerais sobre o Uso de Agrotóxicos
Irrigação em Regiões Tropicais
Colheita, Embalagens e Classificação da Uva
Produção e Mercado
Custos e Rentabilidade
Referências

Expediente
Autores
O Clima em Regiões Tropicais do Brasil

    De acordo com a classificação de Köppen apresentada por Pereira et al. (2002), as regiões brasileiras podem ser agrupadas em três grupos de climas, identificados pelas letras A, B e C. Os tipos A e C identificam climas úmidos, enquanto o tipo B identifica clima seco. O tipo A é denominado megatérmico ou tropical úmido, e apresenta temperatura média do mês mais frio acima de 18°C. O tipo C é denominado mesotérmico ou temperado quente, apresentando temperatura média do mês mais frio entre -3°C e 18°C. Por esse critério, algumas regiões do sudeste e centro-oeste brasileiro que apresentam um subtipo de clima denominado tropical de altitude, não são classificadas entre as regiões tropicais úmidas (tipo A), caracterizando-se como de clima temperado quente (tipo C). Já a região mais seca do Nordeste brasileiro, apesar de apresentar temperatura média do mês mais frio superior a 18°C, é caracterizada como possuindo um clima seco (tipo B), sendo classificada como clima semi-árido quente. No presente trabalho serão consideradas, assim, como regiões de clima tropical apenas aquelas que se enquadram no tipo A, denominado tropical úmido.
    Entre os diferentes subtipos relacionados ao clima tropical úmido destacam-se o Af, que apresenta chuvas bem distribuídas ao longo do ano, como no oeste da Amazônia e parte do litoral do sudeste; o Am, com pequena estação seca, como ocorre no leste da Amazônia; o Aw, com inverno seco e chuvas máximas de verão, que ocorre nas regiões norte, centro-oeste e parte do interior do sudeste; o Aw', que é semelhante ao Aw, mas com a ocorrência de chuvas máximas no outono, como ocorre no norte dos estados do Maranhão, Piauí e Ceará; e o As, com maior incidência de chuvas durante o outono e o inverno, que ocorre em parte do litoral do Nordeste, principalmente entre o norte da Bahia e a Paraíba (Pereira et al., 2002).
    O cultivo da videira Niágara Rosada (Vitis labrusca L.) em regiões tropicais é recente, restringido-se às áreas com classificação climática Aw, aquelas com inverno seco e chuvas máximas de verão. Nessas áreas, tem-se buscado a obtenção de uma safra no período mais seco do ano, sob irrigação, deixando-se o período mais úmido para o ciclo de formação dos ramos, com ou sem obtenção de uma safrinha. Em outras regiões tropicais não deve haver grandes limitações ao cultivo dessa variedade, sendo que nas regiões de clima Af e Am, onde ocorrem mais precipitações ao longo do ano, a incidência de doenças fúngicas, como o míldio será mais intensa, exigindo um programa de tratamentos mais sistemático. Além disso, nas regiões de menor latitude a uva poderá ter sua coloração prejudicada devido as temperaturas mínimas serem relativamente altas. Por outro lado, nessas regiões as temperaturas mais altas favorecem a quebra de dormência das gemas e o desenvolvimento dos brotos após a aplicação de cianamida hidrogenada.

Topo

Copyright © 2003, Embrapa