Embrapa Embrapa Uva e Vinho
Sistema de Produção, 4
ISSN 1678-8761 Versão Eletrônica
Jul./2003

Uvas Viníferas para Processamento em Regiões de Clima Temperado

Loiva Maria Ribeiro de Mello
José Fernando da Silva Protas

Início

Clima
Preparo do solo, calagem e adubação
Porta-enxertos e cultivares
Obtenção e preparo da muda
Sistema de condução
Poda
Doenças fúngicas e medidas de controle
Doenças causadas por vírus, bactérias e nematóides e medidas de controle
Pragas e medidas de controle
Normas gerais sobre o uso de agrotóxicos
Maturação e colheita
Indicações Geográficas para Vinhos Brasileiros
Custo e rentabilidade
Produção e mercado
Referências

Expediente
Autores
Produção e Mercado de Uvas Viníferas

    A viticultura é uma atividade econômica recente no Brasil, quando comparada aos tradicionais países produtores da Europa, especialmente no que se refere a vinhos finos. O Rio Grande do Sul é o principal produtor de uvas para processamento, representando em torno de 95% do total de uvas processadas no país. A área de uvas no Brasil em 2002, segundo IBGE, foi de 65.381 ha (Tabela 1). O Rio Grande do Sul figura como o principal produtor com área de 36.668 ha ou seja, 56,08% da área total do país, seguido pelo Estado de São Paulo com 12.152 ha.

Tabela 1. Área plantada de videiras no Brasil - 2001/2002.

Estado/Ano 2001 2002
Pernambuco 3.702 3.365
Bahia 2.768 2.732
Minas Gerais 840 950
São Paulo 11.128 12.152
Paraná 6.168 6.000
Santa Catarina 3.487 3.514
Rio Grande do Sul 34.682 36.668
Outros 513 -
Brasil 63.288 65.381

Fonte: IBGE

    A produção de uvas no Brasil nos anos de 1998 a 2002 é apresentada na Tabela 2. Em 2002 foram produzidas 1.120.574 t de uvas, sendo 45,23% da produção nacional de uva foi destinada à elaboração de vinhos, sucos, destilados e outros derivados. O Estado do Rio Grande do Sul, produziu 570.161 t de uvas, São Paulo, 231.775 t, Pernambuco 99.978 t e Bahia 82.383 t.

Tabela 2. Produção de uvas no Brasil, em toneladas - 1998/2002.

Discriminação/Ano 1998 1999 2000 2001 2002
Uva para Vinho 348.523 469.870 549.306 469.098 506.799
Uva de Mesa 387.947 398.479 429.271 596.719 613.775
Total 736.470 868.349 978.577 1.062.817 1.120.574

    O Rio Grande do Sul também é o maior produtor do país de uvas viníferas, responsável por mais de 95% da produção. No ano 2002, foram processadas no Rio Grande do Sul 47.684 t de uvas viníferas, sendo quase 60% deste volume de uvas brancas (Tabela 3).

Figura 1

Fig. 1. Principais Viníferas Tintas.

    Embora as brancas ainda representem o maior volume, observa-se uma tendência decrescente. Nos últimos anos, tem havido um aumento de demanda por uvas viníferas tintas em detrimento das brancas. No conjunto, tem havido uma grande escassez de oferta de uvas viníferas, especialmente das tintas, decorrente, principalmente, dos baixos preços praticados no passado, dos custos de produção relativamente mais altos que as cultivares americanas e híbridas, e pela grande oscilação de demanda por estas cultivares ao longo do tempo. Como pode ser observado na tabela 3 há um grande número de cultivares vitiviníferas sendo exploradas comercialmente. Entretanto, no atual estágio de organização da cadeia produtiva vitivinícola brasileira, não está claro o direcionamento evolutivo do setor que determinará a sua consolidação no mercado de vinhos finos. Assim, ao longo dos últimos anos, diversas cultivares foram incentivadas para o plantio e depois relegadas à segundo plano. Como conseqüência deste quadro, no início ficam os viticultores recebendo preços compensadores e na seqüência, preços defasados. Um exemplo disto é a tradicional Cabernet Franc, que foi em parte substituída pela Cabernet Sauvignon, e num passado próximo chegou a ser paga pelo preço da uva comum. As quantidades processadas destas cultivares podem ser observadas pela Figura 1. Recentemente, dada a escassez de oferta, os preços pagos por este grupo de cultivares, atingiram até 2,5 reais ao quilo, em torno de quatro vezes a média histórica. Isto incentivou os produtores a novos plantios, o que provocará um novo preço de equilíbrio, inferior ao atual.

Tabela 3. Quantidade de uvas viníferas processadas no Rio Grande do Sul, por cultivar, 1988/2002.

Cultivar\Anos 1998 1999 2000 2001 2002
VINIFERAS 45.706.134 58.537.946 73.589.548 49.461.994 47.683.899
Tintas 13.571.187 18.026.651 23.959.667 17.769.326 19.057.080
Brancas e Rosadas 32.054.845 40.433.659 49.506.903 31.531.766 28.348.208
Chardonnay 2.966.716 1.501.537 2.873.611 2.197.800 1.604.484
Chasselas 80.410 267.566 179.914 89.938 113.502
Chenin Blanc 398.013 492.063 496.981 343.919 231.841
Colombard 171.673 282.698 343.181 276.372 208.977
Flora 311.974 496.779 581.824 452.383 215.546
Gewurztraminer 417.301 293.892 474.897 291364 161.367
Malvasia Amarela 175.917 400.884 326.928 228.062
Malvasia Bianca* 1.723.117 1.184.410 1.792.354 785.519 637.835
Malvasia Verde 173.550 60.915 244.313 201.609
Malvasia di Candia - 403.192 273.020 135.690
Moscato 9.495.554 19.636.525 19.535.723 12.038.417 13.809.332
Moscato Canelli - - 7.581 19.758
Moscato Giallo 1.217 17.700 115.727 357.251
Moscato Nazareno 287.347 401.583
Moscato Rosado 31.105 1.872 13.219
Muller Thurgau 15.232 19.128 22.207 12.530 7.770
Palomino 13.406 19.023 28.451 19.125 7.959
Peverella 543.544 224.731 556.215 325.243 282.527
PinotBlanc 257.467 229.112 486.786 227.064 170.590
Prosecco 249.502 228.568 455.579 365.590 360.238
Riesling Italico 4.532.556 6.573.788 8.855.066 5.573.372 3.821.716
Riesling Renano 859.540 479.779 380.135 212.917 154.533
Sauvignon Blanc 722.142 840.555 1.156.987 805.245 544.973
Semillon 2.794.570 2.710.748 4.310.660 2.778.595 2.037.827
Sylvaner 764.782 84.391 129.489 50.867 54.811
Trebbiano 5.416.678 4.189.110 5.413.475 3.158.394 2.430.532
Vermentino 1.130 12.833 17.835 11.510 8.960
Vernaccia 319.538 315.739 501.737 258.814 125.716
Outras 80.102 77.636 122.978 160.902 278.611

* EM 1998 e 1999, há misturas de outras malvasias A produção de vinhos, sucos e derivados.

    Segundo dados do Cadastro Vitícola do Rio Grande do Sul- 1995-2000, o Estado possui, 27.986,97 ha que pertencem a produtores que vendem uvas para processamento em 12.829 propriedades. Destes, 4.792 ha são cultivados com variedades viníferas (17,12%). No período de 1998 a 2000, verificou-se um incremento de 2,5% a.a. na área cultivada com videiras, no Rio Grande do Sul sendo que, as principais cultivares viníferas tiveram um incremento na área cultivada de 5% ao ano. A área total cultivada em 2000, bem como a área com plantas com menos de três anos, são apresentadas na tabela 4. Observa-se que as cultivares tintas tiveram aumentos bastante significativos (Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, Tannat e Pinot Noir) (Cadastro Vitícola do Rio Grande do Sul - 1995/2000, 2001). Embora não se disponha de estatísticas oficiais para anos mais recentes, sabe-se que está havendo um incremento na área plantada de cultivares viníferas tintas não somente na região tradicional do Rio Grande do Sul, mas em outros municípios como Bagé, Candiota e Encruzilhada do Sul.

Tabela 4. Área cultivada com as os principais cultivares viníferas em 2000.

Cultivar Área Total Área com menos de três anos de idade
Cabernet Franc 309,55 42,55
Caberner Sauvignon 532,20 157,76
Merlot 447,20 115,45
Pinot Noir 70,25 48,76
Tannat 190,47 41,61
Chardonnay 276,31 34,14
Moscato Branco 718,65 86,31
Riesling Itálico 597,47 38,15

    Na principal região produtora, a viticultura se desenvolve em pequenas propriedades, com média de 15 ha de área total, sendo destes 40% a 60% de área útil e 2,5 ha de vinhedos. Estas áreas, geralmente, são pouco mecanizadas devido à topografia acidentada, onde predomina o uso da mão-de-obra familiar, cada propriedade dispondo em média de quatro pessoas. O sistema de condução adotado é o latada.
    Na região da Fronteira, especificamente em Santana do Livramento, responsável por cerca de 12% da produção estadual de uvas viníferas, a produção se dá em uma grande empresa.
    Na Região do Vale do São Francisco, a produção de uvas viníferas para processamento é recente e onde já são produzidas cerca de 2 mil toneladas.
    Em 2002 o Estado do Rio Grande do Sul produziu 390,3 milhões de litros de vinhos, sendo 31,6 milhões de vinhos de mesa finos (viníferas) (Tabela 5).

Tabela 5. Produção de vinhos, sucos e derivados do Rio Grande do Sul, em litros - 1999/2002.

PRODUÇÃO 1999 2000 2001 2002
Vinho de mesa 226.520.776 273.025.576 228.932.428 259.589.740
Tinto 168.149.414 208.242.670 175.267.437 215.892.333
Branco 42.528.150 44.902.276 44.322.806 35.329.657
Rosado 15.843.212 19.880.630 9.342.185 8.367.750
Vinho de viníferas 45.830.497 56.209.739 34.159.277 31.655.226
Tinto 14.640.657 18.545.613 13.587.683 13.619.033
Branco 30.674.840 36.955.126 20.393.594 17.911.689
Rosado 515.000 709.000 178.000 124.504
Suco de uvas simples 4.132.303 3.546.779 5.196.430 5.505.889
Suco concentrado* 57.000.000 70.880.000 63.953.760 73.614.010
Outros derivados 23.422.306 25.959.016 15.498.842 19.932.187
TOTAL 356.905.882 429.621.110 347.740.737 390.297.052

*transformados em litros de suco simples.
Fonte: União Brasileira de Vitivinicultura - UVIBRA.

    Os vinhos finos de mesa nacionais apresentam uma tendência decrescente a partir de 1993, quando os vinhos estrangeiros começaram a absorver uma maior fatia do mercado (Figura 2). Este quadro deverá poderá se reverter, face aos altos preços ofertados pela agroindústria para as cultivares viníferas tintas de maior qualidade e conseqüentemente, a expansão da área cultivada com essas cultivares. No entanto, deve ser considerada a competitividade dos vinhos importados.

Figura 2

Fig. 2. Evolução do consumo de vinhos finos no Brasil.

Topo

Copyright © 2003, Embrapa