Embrapa Hortaliças
Sistemas de Produção, 5
ISSN 1678-880X Versão Eletrônica
Jun./2008
Cenoura (Daucus carota )
Autores

Sumário

Apresentação
Importância econômica
Clima
Solos
Adubação
Deficiências nutricionais
Cultivares
Plantio
Raleio
Irrigação
Plantas daninhas
Doenças
Pragas
Colheita
Coeficientes técnicos
Referências

Expediente


Cultivares

Jairo Vidal Vieira
Homero B. S. V. Pessoa

Normalmente, são encontradas no mercado sementes de várias cultivares de cenoura desenvolvidas tanto por instituições oficiais de pesquisa quanto por instituições privadas (Tabela 1)

 

Tabela 1. Principais cultivares de cenoura disponíveis atualmente no mercado e suas características
Cultivar
Formato das raízes
Ciclo
(dias)
Comprimento das raízes
(cm)
Resistência(R) ou Tolerância (T) à doenças
Clima mais favorável para cultivo
Brasília
Cilíndrica
90-100
15-22
R - queima das folhas
T - nematoide
ameno para quente
Kuronan
Ligeiramente cônica
100-120
15-25
R - queima das folhas
ameno para quente
Nova Kuroda
Ligeiramente cônica
100
15-18
R- alternária
ameno para quente
Prima
Cilíndrica
90-100
16-18
R - queima das folhas
ameno para quente
Nova Carandaí
Cilíndrica
80-90
18-20
R - alternária
ameno para quente
Nantes
Cilíndrica
90-110
13-15
-
frio
Harumaki Kinko Gossum
Ligeiramente cônica
85-110
16-18
T- queima das folhas
ameno
Tropical
Ligeiramente Cônica
80-90
20-25
R - queima das folhas
ameno para quente
Alvorada
Cilíndrica
100-105
15-20
R - queima das folhas
R - nematóides
ameno para quente
Fonte: Embrapa Hortaliças e Catálogos de Companhias Produtoras de Sementes
 

O consumidor brasileiro tem preferência por raízes de cenoura cilíndricas, lisas, sem raízes laterais ou secundárias, uniformes, com comprimento e diâmetro variando respectivamente entre 15 a 20 cm e 3 a 4 cm. A coloração deve ser alaranjada intensa , com ausência de pigmentação verde ou roxa na parte superior (ombro) das raízes.

Cada cultivar tem características próprias quanto ao formato das raízes, resistência às doenças e, principalmente, quanto à época de plantio. Esta última característica permite que se produza cenoura durante o ano todo na mesma região, desde que se plante a cultivar apropriada às condições de clima predominantes em cada época.

Cultivares e suas principais características

As principais cultivares de cenoura disponiveis no mercado podem ser agrupadas nos seguintes grupos:

Nantes

  • Cultivar de origem francesa;
  • As plantas têm folhagem verde escura e podem atingir até 30 cm de altura;
  • As raízes apresentam formato cilíndrico com 15 a 18 cm de comprimento, 3 a 4 cm de diâmetro e coloração alaranjada escura;
  • Esta cultivar é muito sensível às doenças de folhagem, não sendo recomendável o seu cultivo em estação chuvosa e quente;
  • Por sua exigência em temperaturas amenas é recomendada para plantio em época fria;
  • Seu ciclo vegetativo é de 90 a 110 dias;
  • Existem diversas cultivares deste grupo disponíveis no mercado.

Kuroda

  • As plantas apresentam folhagem vigorosa, com até 50 cm de altura;
  • As raízes são cônicas, de coloração vermelha-alaranjada e apresentam a película bastante delicada;
  • O comprimento das raízes varia entre 15 e 20 cm;
  • As cultivares deste grupo apresentam tolerância a temperaturas mais elevadas e resiste bem às doenças de folhagem quando semeadas no verão de regiões quentes;
  • Elas não são recomendadas para semeaduras sob condições de clima ameno pois suas características não permitem competir em qualidade com as do grupo Nantes;
  • Seu ciclo vegetativo é de aproximadamente 100 dias;
  • Diversas cultivares deste grupo estão disponíveis no mercado.

Brasília

  • Resultou de um programa de melhoramento de cenoura para cultivo no verão desenvolvido pelo Centro Nacional de Pesquisas de Hortaliças - EMBRAPA-Hortaliças e Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - ESALQ (Figura 1);
  • As plantas têm porte médio de 25 a 35 cm, com folhagem vigorosa e coloração verde escura;
  • As raízes são cilíndricas, com coloração alaranjada clara e baixa incidência de ombro verde ou roxo;
  • O comprimento varia de 15 a 22 cm e o diâmetro de 3 a 4 cm;
  • É resistente ao calor, apresentando baixos níveis de florescimento prematuro sob condições de dias longos;
  • Tem alta resistência de campo à queima-das-folhas, produzindo em média 30-35 t/ha nas condições de verão;
  • A colheita pode ser efetuada de 85 a 100 dias após a semeadura;
  • É recomendada para semeaduras de outubro a fevereiro nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil, embora esteja sendo utilizada, com sucesso, em todo o país;
  • Existem diversas cultivares deste grupo disponíveis no mercado.


Foto: Carlos Solano
brasilia
Fig. 1. Cultivar Brasília

Outras cultivares importantes  

Kuronan

  • Resultou também de um programa conjunto de melhoramento de cenoura para cultivo no verão, desenvolvido pela ESALQ e a EMBRAPA-Hortaliças (Figura 2);
  • As plantas têm folhagem vigorosa, com coloração verde clara brilhante, com 35 a 45 cm de altura;
  • As raízes são ligeiramente cônicas de coloração alaranjada-escura e baixa incidência de ombro verde ou roxo;
  • O comprimento das raízes varia entre 15 e 20 cm e o diâmetro entre 3 e 4 cm. Resiste bem ao calor, apresentando baixos níveis de florescimento prematuro sob condições de dias longos;
  • Apresenta boa resistência de campo à queima-das-folhas, e produz em média 30 t/ha quando semeada em estação quente e chuvosa;
  • A colheita inicia-se 95 a 120 dias após a semeadura;
  • É recomendada para semeaduras de novembro a março na região Sudeste do Brasil.


Foto: Carlos Solano
kuronan
Fig. 2. Cultivar Kuronan

Tropical

  • Cultivar desenvolvida pela ESALQ;
  • As plantas têm folhagem verde escura e apresentam mediana resistência de campo à queima-das-folhas;
  • As raízes são ligeiramente cônicas;
  • Esta cultivar é muito sensível ao florescimento prematuro sob condições de dias longos, apresentando pequena exigência em frio para diferenciação da gema floral. Por isto, a produção de raízes deve ser programada para estação fria e/ou sob condições de dias curtos.

Prima

  • Cultivar desenvolvida pela Agroflora para o plantio de primavera e outono (semeaduras de meados de setembro até início de novembro);
  • Apresenta ótimo vigor de folhagem, boa resistência à queima-das-folhas e ao florescimento prematuro;
  • As raízes tem formato cilíndrico, com boa coloração externa e interna das raízes, e, baixa incidência de ombro verde ou roxo;
  • O ciclo normal desta cultivar é de aproximadamente 100 dias.

Nova Carandaí

  • Cultivar desenvolvida pela Agroceres;
  • Apresenta comprimento de folhagem de 40 - 50 cm, ciclo vegetativo de 80 a 90 dias, e resistência à queima-das-folhas;
  • As raízes são de cor alaranjada com formato cilíndrico, variando de 16 a 18 cm de comprimento;
  • Apresenta tolerância ao calor.

Harumaki Kinko Gossum

  • Cultivar de origem japonesa com ampla adaptação climática;
  • Apresenta baixos níveis de florescimento e relativa tolerância à queima-das-folhas, produzindo bem em condições de alta e baixa temperatura;
  • Possui plantas vigorosas de porte alto, com 40 a 50 cm de altura, e coloração de folhagem verde clara;
  • As raízes são cilíndricas com ombro largo, ponta arredondada, comprimento variando de 16 a 18 cm, coloração laranja-avermelhada;
  • A colheita começa aos 90 dias após a semeadura.

Alvorada

  • Cultivar desenvolvida pela Embrapa Hortaliças;
  • As plantas tem porte médio 30 a 35 cm, com folhagem vigorosa e coloração verde escura;
  • As raízes são cilíndricas, com coloração alaranjada intensa, muito baixa incidência de ombro verde ou roxo;
  • O comprimento varia de 15-18 cm com diâmetro de 3 a 4 cm;
  • As raízes apresentam uniformidade de coloração entre o xilema e o floema, e teor de carotenóides totais da ordem de 12 mg/100 gr de raiz;
  • É resistente ao calor, apresentando baixos níveis de florescimento prematuro sob condições de dias longos;
  • Tem alta resistência de campo à queima-das-folhas e aos nematóides formadores de galhas, produzindo em média 30-35 t/ha nas condições de verão;
  • A colheita pode ser efetuada de 100 a 105 dias após a semeadura;
  • É recomendada para semeaduras de outubro a fevereiro nas regiões sul, sudeste e centro-oeste, muito embora esteja sendo utilizada em outras regiões do país. (Figura 3)

Foto: Paula A. Cochrane
Fig_1

Fig. 3. Cultivar Alvorada

 

Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.