center


Embrapa Uva e Vinho
Sistema de Produção, 1
ISSN 1678-8761 Versão Eletrônica
Jan/2003

Produção Integrada de Maçãs no Brasil

Gilberto Nava
Clori Basso
Névio Nuernberg
George Wellington Melo

Gilmar Ribeiro Nachtigall

Atsuo Suzuki

Início

Capacitação
Organização de produtores e assistência técnica
Recursos naturais
Solos e nutrição
Plantio
Polinização
Tratos Culturais
Poda
Controle da produção da fruta
Quebra de dormência
Manejo da cobertura vegetal
Manejo integrado de pragas e doenças
Colheita e pós-colheita
Mercado e Comercialização
Referências
Glossário


Expediente
Autores
Solos e nutrição

Preparo do solo e adubação de pré-plantio

     Na implantação do pomar é imprescindível proceder à escolha adequada do local, bem como tomar medidas para melhorar as condições físicas do solo, através de subsolagem e aração profunda e as condições químicas, através de calagem e adubação. A definição da quantidade desses produtos a ser aplicada é feita através da análise do solo, que deve ser providenciada com 6 meses de antecedência.
      Nas situações de replantio total de áreas de pomares não afetados por podridões de raízes, deve-se também recorrer à análise do solo para definir as quantidades de calcário e adubo a aplicar em pré-plantio, bem como realizar subsolagem para romper as camadas compactadas. Deve-se eliminar completamente os restos vegetais da área. Especificamente para estas situações, deve ser usado na cova 50 g de fosfato monoamônico antes do plantio.

Tabela 1. Recomendações de calagem (calcário com PRNT 100%) com base no índice SMP, para a correção da acidez dos solos de pomares de macieira (camada 0 a 40 cm) do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Tabela 2. Interpretação geral dos resultados de análise de solo para potássio trocável e fósforo "extraível" para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Tabela 3. Recomendações de adubação fosfatada e potássica em pré-plantio para a cultura da macieira para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.


Adubação de Crescimento

     A adubação de crescimento é necessária para estimular o crescimento vegetativo e, por conseqüência, a formação das plantas durante os três primeiros anos. É constituída por adubo nitrogenado, em doses variáveis, conforme a idade das plantas.
     No sistema de Produção Integrada de Maçãs do Brasil não são admitidos fertilizantes que tenham em sua constituição substâncias tóxicas que podem contaminar o solo, especialmente aqueles que contenham metais pesados, toxinas, etc. ou então fertilizantes com problemas de contaminação biológica.

Tabela 4. Recomendações de adubação nitrogenada de crescimento para a cultura da macieira para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.


Adubação de manutenção (produção)

     A recomendação de adubação de manutenção deve considerar a análise foliar e de frutos, análise periódica do solo, idade das plantas, crescimento vegetativo, adubações anteriores, produções, tratos culturais e presença de sintomas de deficiências nutricionais.
     Nos pomares que tenham seguido as recomendações de adubação de pré-plantio e de adubação de crescimento, as quantidades a aplicar anualmente por hectare não devem ser superiores a 80 kg de N/ha, 50 kg de P2O5 /ha, 150 kg de K2O/ha, 20 kg de MgO/ha, 20 kg de ZnO/ha e 5 kg de Bórax/ha.
     Independentemente do teor foliar, não deve se aplicar potássio se o teor no solo for maior que 100 mg/L, na camada de 0 a 20 cm, e maior que 50 mg/L, na camada de 20 a 40 cm de profundidade.
     Para a cultura da macieira são necessárias aplicações foliares sistemáticas de cálcio, para evitar a ocorrência de distúrbios fisiológicos ligados a este nutriente, visando melhorar as condições de conservação da fruta. Os demais nutrientes devem ser aplicados por via foliar quando identificada a deficiência.

seta    

Copyright © 2003, Embrapa