Embrapa


Embrapa Uva e Vinho
Sistema de Produção, 1
ISSN 1678-8761 Versão Eletrônica
Jan/2003

Produção Integrada de Maçãs no Brasil

Adilson José Pereira
José Luiz Petri

Início

Capacitação
Organização de produtores e assistência técnica

Recursos naturais
Solos e nutrição
Plantio
Polinização
Tratos Culturais
Poda
Controle da produção da fruta
Quebra de dormência
Manejo da cobertura vegetal
Manejo integrado de pragas e doenças
Colheita e pós-colheita
Mercado e Comercialização
Referências
Glossário


Expediente
Autores
Tratos culturais

Sistema de condução

Líder central no sistema livre: A planta deve ser conduzida de tal maneira que se possa obter a forma piramidal com o líder central, formando-se quatro ramos no primeiro andar. Os andares subseqüentes devem ficar separados de 40 cm a 60 cm um do outro, para que possibilite a entrada de luz no interior da planta. Os ramos laterais não devem ultrapassar um terço do diâmetro do líder no ponto de inserção do mesmo.

Líder central com sistema de apoio: Consiste num sistema utilizado para porta-enxertos anões para plantios em alta densidade. Embora tenha um custo de implantação mais alto, favorece o controle de pragas e doenças e permite a produção de uma fruta de melhor qualidade, sendo mais precoce na entrada em frutificação.


Rebrotes de porta-enxertos

Durante a fase vegetativa os rebrotes dos porta-enxertos devem ser eliminados na base, ou seja, no ponto de inserção. Não devem ser cortados ao nível do solo, pois isto favorece a formação de novos rebrotes. A eliminação deve ser realizada quando os rebrotes atingirem no máximo 15 cm. Pode-se também eliminá-los com o uso de herbicida utilizando-se o glufosinato de amônio, na dose de 2,0 litros/ha.


Tabela 1.
Agroquímicos utilizados no manejo da planta na Produção  Integrada de Maçã (PIM)1 2003-2004.

Nome TécnicoMarca ComercialDosagem/100 L
(g; ml; L)
ÉpocaRecomendação de uso
Ácido Naftaleno Acético - ANAAna Técnico 95% PM10-15 g/ha ou
10-15 ppm
5-10 dias após plena floraçãoRaleio Químico
CarbarylSevin 850 PM
Sevin 480 SC
180 g/100L
360 g/100L
15-30
DAPF*
Raleio Químico
Ácido Naftaleno Acético - ANAAna Técnico 95% PM20 ppm ou
21 g/ha
Pós-colheitaControle de queda de frutos
AminotoxivinilglicineRetain800 g/ha30 dias antes da maturaçãoControle da queda de frutos
Atraso da maturação
Giberelina A4 + 7 +
N - (Phenylmethyl) 1H
- purina 6 amine
Promalina1,8 L/haQP, 7, 14, 21 dias apósControle de russeting
e forma de fruto
Cianamida
Hidrogenada
Dormex0,5 à 1,2%20-30 dias antes da brotaçãoIndução da brotação e floração

* DAPF - Dias após a plena floração
** O uso da Cianamida Hidrogenada deve estar associado ao óleo mineral, na concentração de 3 a 4 %.
1 Os produtos que não constam neste Anexo e estejam registrados na cultura somente podem ser utilizados quando autorizados pelos CT Regionais da PIM.
As consultas sobre registro de produtos para a macieira pode ser feito no sistema SIA, no site www.anvisa.gov.br


Tabela 2.
Herbicidas utilizados na Produção Integrada de Maçã (PIM)1 2003-2004.

Nome Técnico Marca Comercial Dosagem
(g ou ml/100 l)
Recomendação de uso*
Glyphosate Agrisato 480 CS 1 a 6 L Herbicida não seletivo, pós-emergente, recomendado para controle de espécies anuais e perenes.
Glifosato Nortox 1 a 6 L
Glifosato 480 Agripec 1 a 6 L
Glifosato 480 1 a 6 L
Gliz BR 1 a 6 L
Gliz 480 CS 1 a 6 L
Trop 1 a 6 L
Polaris 0,5 a 5,0 L
Radar 0,5 a 5,0 L
Rustler 0,5 a 5,0 L
Stinger 0,5 a 5,0 L
Roundup Original 1,5 a 6,0 L
Roundup Multiação 0,5 a 2,5 Kg
Direct 0,5 a 3,5 Kg
Roundup WG 0,5 a 3,5 Kg
Amônio-glufosinato Finale 2,0 L Controle de rebotes de porta enxertos
Simazina Herbazin 500 BR 3,5 a 7,0 L Controle de espécies anuais em pré-emergência

* Para prevenir resistência a herbicidas recomenda-se limitar aplicações de um mesmo herbicida; promover rotação de mecanismos de ação e de métodos de controle e acompanhar mudanças na flora (monitorar).

Observação:
Os produtos que não constam neste Anexo e estejam registrados na cultura somente podem ser utilizados quando autorizados pelos CT Regionais da PIM. As consultas sobre registro de produtos para a macieira pode ser feito no sistema SIA, no site www.anvisa.gov.br


Tabela 3.
Recomendações de dosagem de Óleo mineral (OM) e Cianamida hidrogenada (CH) conforme o crescimento das plantas e as unidades de frio.

Unidades de frioCrescimento das plantas
<10 cm10 cm a 50 cm>50 cm
<800OM 4% + CH 0,25%OM 4% + CH 0,25%OM 4% + CH 0,25% a 0,35%
800 a 1.000OM 4% + CH 0,25%OM 4% + CH 0,25%OM 4% + CH 0,25%
1.000 a 1.200OM 3% a 4% + CH 0,25%OM 4% + CH 0,25%OM 4% + CH 0,25%
>1.200OM 4% ou OM 3% + CH 0,15%OM 3% + CH 0,15% a 0,25%OM 3% + CH 0,25%

Nota: Em plantas novas que não entraram em produção a aplicação deve ser OM 4% + CH 0,25% a 0,50%.


center    

Copyright © 2003, Embrapa