Embrapa Florestas
Sistemas de Produção, 2
ISSN 1678-8281 Versão Eletrônica
Cultivo da Grevílea nas Regiões Sul e Sudeste do Brasil

Autor
Emerson Gonçalves Martin

Cultivo da GrevÝlea

1.Importância socioeconômica e ambiental
2.Generalidades sobre a espécie
3.Taxonomia e descrição
4.Distribuição geográfica
5.Propriedades e utilização da madeira
6.Melhoramento genético
7.Requerimentos ecológicos da espécie
8.Sementes
9.Formação de mudas
10.Implantação
11.Manutenção
12.Pragas e doenças
13.Manejo
14.Sistemas agroforestais
15.Coeficientes técnicos e custos
16.Mercado e comercialização
17.Referências
18.Equipe
Expediente

Glossário
Entrada

 

Distribuição geográfica

Ocorrência natural

Temçãrigem na Austrália, com distribuição natural predominante em áreas costeiras do norte do estado de  New South Wales  e ao sul do Estado de  Queensland. Esta variação de distribuição natural atinge as latitudes de 30o10? S a 24o 30?S. A altitude deçãcorrência natural varia desdeçã nível do mar até 1.120m.

A variação climática encontrada na área de distribuição natural da grevílea é relativamente acentuada. A precipitação média anual varia de 720 a 1710 mm, deçãeste para leste e temperatura média anual de 14 a 20║C.

A grevílea é encontrada em dois tipos de habitat.çã primeiro ao longo de rios, em distâncias não superiores a 30 m da margem.çã segundo habitat, é nas florestas mistas de Araucaria cunninghamii, com densidade bem menor que ao longo dos rios e córregos. Desenvolve-se em solos bem drenados, com acidez média a neutra.

Áreas de expansão

Em 1830, foi introduzida na na Inglaterra, tornando-a conhecida na Europa como uma plantaçãrnamental. Posteriormente, foi disseminada no Srilanka e Índia, para sombreamento de culturas de chá. Em seguida foi levada para a Argélia e África do Sul, chegando na América do Sul  apenas no final do século passado.

Em vários países tropicais, a grevílea foi introduzida para sombrear diversas culturas comoçã café, cacau e chá por exemplo. Assim é comum em Ruanda, Burundi, Havaí e algumas regiões meridionais da Florida, e em altitudes moderadas do leste da África. No final da década de 70, sua aptidão como espécie para sistemas agroflorestais foi finalmente destacada no Quênia.

No Brasil, foi introduzida em São Paulo no final do século dezenove para sombrear cafezais. Em 1975,çã Instituto Brasileiro do Café (I.B.C), recomendou a formação de quebra-ventos com grevíleas plantadas em renques de grevílea perpendiculares aos ventos sudeste, distanciados em 100m, com árvores espaçadas de 4m, nas linhas.

 

Todos os direitos reservados, conforme Lei nº 9.610

Topo da Página