Embrapa Florestas
Sistemas de Produção, 2
ISSN 1678-8281 Versão Eletrônica
Cultivo da Grevílea nas Regiões Sul e Sudeste do Brasil

Autor
Ivar Wendling
Emerson Gonçalves Martins

Cultivo da GrevÝlea

1.Importância socioeconômica e ambiental
2.Generalidades sobre a espécie
3.Taxonomia e descrição
4.Distribuição geográfica
5.Propriedades e utilização da madeira
6.Melhoramento genético
7.Requerimentos ecológicos da espécie
8.Sementes
9.Formação de mudas
10.Implantação
11.Manutenção
12.Pragas e doenças
13.Manejo
14.Sistemas agroforestais
15.Coeficientes técnicos e custos
16.Mercado e comercialização
17.Referências
18.Equipe
Expediente

Glossário
Entrada

 

Sementes
As sementes  de grevílea são de formato achatado e leves, alcançando até 50.000 unidades  por quilograma. As mesmas, após a coleta, podem ser armazenadas por até  dois anos em condições de temperatura  e umidade controlada (temperaturas baixas e umidade inferior a 10% ). Em condições ambientais em que a temperatura e a umidade relativa são altas, as sementes perdem a viabilidade em poucos meses (Carvalho, 1998: Shimizu, 1998 e Harwood, 1992). Após a coleta procede-seçã beneficiamentodas mesmas.

Segundo Zanon (1993), no Brasil, a grevílea apresenta dormência de pós-colheita, que pode ser superada pelo armazenamento por um período de 60-90 dias, sendo que a melhor condição de estocagem é em sacos de papel e em câmara  seca a 150 C e 40%  de umidade relativa do ar.

De acordo comçãkorio (1989), sementes estocadas em recipientes hermeticamente fechados e em ambientes controlados com temperaturas baixas e ar seco, perderam sua viabilidade com aproximadamente três meses. As mesmas sementes armazenadas em recipientes hermeticamente fechado em geladeira mantiveram sua viabilidade por um período de aproximadamente dois anos.

 

Todos os direitos reservados, conforme Lei nº 9.610

Topo da Página