Embrapa Florestas
Sistemas de Produção, 2
ISSN 1678-8281 Versão Eletrônica
Cultivo da Grevílea nas Regiões Sul e Sudeste do Brasil

Autores
Emerson Gonçalves Martins
Jarbas Yudio Shimizu
Carlos Alberto Ferreira

Cultivo da GrevÝlea

1.Importância socioeconômica e ambiental
2.Generalidades sobre a espécie
3.Taxonomia e descrição
4.Distribuição geográfica
5.Propriedades e utilização da madeira
6.Melhoramento genético
7.Requerimentos ecológicos da espécie
8.Sementes
9.Formação de mudas
10.Implantação
11.Manutenção
12.Pragas e doenças
13.Manejo
14.Sistemas agroforestais
15.Coeficientes técnicos e custos
16.Mercado e comercialização
17.Referências
18.Equipe
Expediente

Glossário
Entrada

 

Melhoramento genético
O melhoramento genético da grevílea, como para a maioria das espécies florestais, tem sido feito através da implantação de testes de procedências eçãs testes de progênies.

A partir de 1989-90, coleções de sementes de grevílea de 27 sítios e diferentes altitudes na região de distribuição natural na Austrália, foram coletadas e encaminhadas para países que trabalhavam com a espécie, incluindo çã Brasil.

O Instituto Florestal de São Paulo, importou seisçãrigens australianas que foram plantadas em três regiões, Assis , Avaré e Itapeva no Estado de São Paulo em 1991.

Os primeiros resultados indicaram a procedência ?Wallaby Creek ? como a melhor em altura e diâmetro em Assis e Avaré. Asçãrigens ?12.6 kFR Woodenbong ? e ?Emu Vale ? sobressairam-se em altura e diâmetro, respectivamente, como as melhores, na região de Itapeva.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária-Embrapa, através do Centro Nacional de Pesquisa de Florestas - Embrapa Florestas, importou em 1992 vinte procedências de grevílea da Austrália e em 1993 cento e vinte e seis progêniesçãriundas de vinte e três procedências. Este material foi instalado  em regiões do Estado do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, em áreas experimentais que totalizam 27,13 ha, sendo.11,22 ha de  testes de procedências  e15,91 ha de testes de progênies.

Os resultados iniciaisçãbtidos para diferentes procedências implantadas na região noroeste do estado do Paraná, foram altamente promissores. Procedências como Mann River, Fine Flower e Rapville, todasçãriginárias do Estado de New South Wales, de latitudes variando de 29o 07? a 29o 24?, longitudes variando de 152o 29? a 152o 57? e altitudes entre 40 a 60 m, produziramçãs maiores volumes cilíndricos. A produtividade em volume total de madeira superou em 140% a da testemunha proveniente de áreas reflorestadas com material comercial do Brasil.

Do total de 20 procedênciasçãriginárias dos Estados australianos de New South Wales e Queensland, 13 não apresentaram diferença significativa entre si e destas 13 procedências, as 10çãriginárias do estado de New South Wales, foram as que apresentaram maior rendimento volumétrico nos testes de Quedas do Iguaçu e Nova Esperança no Paraná.

 

Todos os direitos reservados, conforme Lei nº 9.610

Topo da Página