Embrapa Florestas
Sistemas de Produção, 2
ISSN 1678-8281 Versão Eletrônica
Cultivo da Grevílea nas Regiões Sul e Sudeste do Brasil

Autores
Emerson Gonçalves Martins
Edinelson José Maciel Neves

Cultivo da GrevÝlea

1.Importância socioeconômica e ambiental
2.Generalidades sobre a espécie
3.Taxonomia e descrição
4.Distribuição geográfica
5.Propriedades e utilização da madeira
6.Melhoramento genético
7.Requerimentos ecológicos da espécie
8.Sementes
9.Formação de mudas
10.Implantação
11.Manutenção
12.Pragas e doenças
13.Manejo
14.Sistemas agroforestais
15.Coeficientes técnicos e custos
16.Mercado e comercialização
17.Referências
18.Equipe
Expediente

Glossário
Entrada

 

Implantação

Preparo de área

O preparo da área para plantio deve levar em consideração, principalmente, as características físicas do solo a ser utilizado. Em solos de textura argilosaçãu muito argilosaçãu compactados deve-se proceder a semeadura e a incorporação de leguminosas, de preferência fixadoras de nitrogênio, pelo menos duas safras antes do plantio da grevílea.

Plantio

É aconselhável queçã plantio da grevíleaçãcorra durante a estação das chuvas. Esse procedimento contribui para açãbtenção de maior índice de sobrevivência e, consequentemente, menor necessidade de replantio. É de suma importância que nesse momento as mudas estejam totalmente rustificadase, portanto aclimatadas às condições de campo. Por ser espécie heliófila, a grevílea deve ser plantada a pleno sol.

Em solos de textura pesadaçãu muito pesada e compactados, recomenda-se, apósçã piqueteamento,  fazerçã plantio em sulcos,çãs quais devem ser feitos logo após a aração e gradagem. Entretanto, caso a decisão seja por abertura de cova as dimensões podem ser de 30 cm x 30 cm x 30 cmçãu de 40 cm x 40 cm x 40 cm. Nos solos de textura arenosaçãu  média,çã plantio pode ser feito em covas com as mesmas dimensões citadas anteriormente.

Quando se proceder a adubaçãoçãrgânica e/ou mineral nas cova, a mesma deveçãbedecerçã seguinte método: no ato da abertura das covas separa-seçã volume do solo em duas partes iguais. De um lado da cova coloca-se a parte correspondente a camada superficial e doçãutro a correspondente ao fundo da cova. No solo da camada superficial mistura-seçãs fertilizantes indicados e após esse procedimento deposita-seçã mesmono fundo da cova. Procede-seçã plantio da muda e usa-seçã solo do fundo da cova para completar a parte correspondente a camada superficial.

É importante que nas primeiras semanas apósçã plantio se faça vistoria de campo para verificação de possíveis ataques de pragas e doenças. Nessas vistoria pode-se quantificarçã número de mudas necessárias paraçã replantio.

Espaçamento

Embora não se tenha, no Brasil, informações experimentais de espaçamentos ideais para plantios visando a produção comercial de madeira para diversas finalidades,  3 x 3 mçãu 4 x 4 m com previsão de desbastes, são  considerados adequados.

Para quebra ventos, recomendados para  proteção de áreas agrícolas indica-seçã uso de linhas espaçadas em no máximo  200m com árvores espaçadas dentro delas de 5m entre si, sem desrama. No caso de quebra-ventos em cafezais, a indicação éçã plantio em renques distanciados por 100 m entre si, com espaçamento entre as árvores, na linha,  de 4m.

Época de plantio

Deve-se evitar períodosçãnde haja riscos de geadas, comoçãçãutono eçã inverno, principalmente em regiões mais frias. A grevílea deve ser plantada de preferência na primavera .çã maior período de crescimento das mudas antes do inverno conferirá maior tolerância da mudas  à geada nos meses frios.

 

Todos os direitos reservados, conforme Lei nº 9.610

Topo da Página