Embrapa Florestas
Sistemas de Produção, 2
ISSN 1678-8281 Versão Eletrônica
Cultivo da Grevílea nas Regiões Sul e Sudeste do Brasil

Autores
Emerson Gonçalves Martins
Edinelson José Maciel Neves
Carlos Alberto Ferreira

Cultivo da GrevÝlea

1.Importância socioeconômica e ambiental
2.Generalidades sobre a espécie
3.Taxonomia e descrição
4.Distribuição geográfica
5.Propriedades e utilização da madeira
6.Melhoramento genético
7.Requerimentos ecológicos da espécie
8.Sementes
9.Formação de mudas
10.Implantação
11.Manutenção
12.Pragas e doenças
13.Manejo
14.Sistemas agroforestais
15.Coeficientes técnicos e custos
16.Mercado e comercialização
17.Referências
18.Equipe
Expediente

Glossário
Entrada

Indicadores para uso em sistemas agroflorestais
O interesse pela grevílea, foi despertado pelo seu uso em cortinas quebra-ventos e para proteção das geadas, principalmente em lavouras de café. Reconhecida como espécie ideal para sistemas agroflorestais devido à pouca competitividade com as culturas agrícolas, tem sido utilizada em sombreamento de pastagens com benefícios reconhecidos.

No Brasil, a grevílea foi reconhecidaçãficialmente como uma espécie para sistemas agroflorestais em 1975.çã I.B.C. (Instituto Brasileiro do Café) recomendou a formação de quebra-ventos arbóreos com a finalidade de reduzir a ação dos ventos frios, quentesçãu secos. A técnica consiste em plantar renques de grevílea perpendiculares aos ventos sudeste, distanciados em 100m, com árvores espaçadas de 4m, nas linhas.çã espaçamento ideal recomendado para proteção de áreas agrícolas é de uma única linha de árvores, espaçadas 5m entre si, sem desrama. A distância máxima entre barreiras não deve ultrapassar a 200m.

Em um estudo realizado no município de Terra Boa, PR constatou que mesmo na ausência de geadas, densidades de até 70 árvores não causaram prejuízos na produção de café. Após a geada severaçãcorrida em 1994, proteção efetiva aos cafeeiros foiçãbservada em populações de grevílea acima de 70 árvores por ha. Após uma geada que provocou queima de 30 a 40% das folhas dos cafeeiros em áreas arborizadas com grevílea, praticamente nenhum dano aos cafeeiros foiçãbservado até uma distância de 5 a 6 metros.

Na região noroeste do Paraná,çãcorreçã arenito do Caioá. Área com 3.519.800 ha, solos com baixo a médio teores de argila, suscetíveis a erosão devido a predominância de textura arenosa. As pastagens tomam 59%  da área total do arenito Caiuá. Em 1979,çã experimento de sombreamento de pastagem foi instalado inicialmente comçã plantio de árvores de grevílea nos terraços espaçados de 20 a 22m e as árvores com espaçamento de 2,5 m na linha.çã pastejo foi instalado em 1982, com Cynodon plectostachyus. De acordo comçãs resultadoso sistema suportou, 2,1 cabeça animal/ha, além de produzir um acréscimo de mais de 122m3 de madeira.

Deste modo podemos identificarçãs seguintes sistemas agroflorestais envolvendo a grevílea:

a) Sombreamento de culturas agrícolas (feijão, café, eçãutras) (Figura 1).

b) Sombreamento de pastagens  e quebra-vento (Figura 2)

Figura 1. Sombreamento de cafÚ com grevÝlea
Fotografia: Amilton JoŃo Baggio

Figura 2. Sombreamento de pastagem e quebra-vento
Fotografia: Jorge Ribaski

 

Todos os direitos reservados, conforme Lei nº 9.610

Topo da Página